24 comentários:
De rafapaim a 8 de Junho de 2004 às 00:33
Reboot... fica mais fácil ir acompanhado vossas escritas também!!! Mesmo sem grandes comentários porque às vezes só tempo para escrever a filosofia barata do dia!!!
De Reboot a 8 de Junho de 2004 às 00:30
Rafapaim : Peço desculpa por não ter reparado (ando de cabeça nas nuvens por vezes). Agradeço os links. Fica bem, Noite Serena e até amanhã.
De rafapaim a 8 de Junho de 2004 às 00:24
sonia... e passar de amizades virtuais para reais às vezes ainda é melhor!!! Tem gente que é tal e qual conhece pela escrita e troca de pensamentos!
De rafapaim a 8 de Junho de 2004 às 00:23
Andreia... estou contigo!!! Por vezes o jeito de escrever... o jeito de falar... o jeito de sorrir... por vezes nada... faz com que certa pessoa tenha um destaque ou importância na nossa vida em pouco tempo!!!
De sonia a 8 de Junho de 2004 às 00:21
amigos são uma coisa imprescindivel, e graças a Deus nesse aspecto não me posso queixar. Mas não é por acaso que se arranjam alguns amigos na net, e mesmo aqui no mundo dos blogs, porque o estarmos protegidos pelo monitor ajuda a desvendar algumas partes de nós, sem medo de sermos julgados. beijinhos
De Andreia a 8 de Junho de 2004 às 00:17
É difícil entender mas é verdade. Algumas vezes damos por nós a falar com pessoas que conhecemos á relativamente pouco tempo, mas que devido a uma empatia comum nos sentimos á vontade para falar.
De rafapaim a 8 de Junho de 2004 às 00:14
Reboot... não deve ter reparado que até link já tinha!!! Deixou o endereço aqui (passando o rato sobre o nome!!!) e tomei a liberdade de adicionar!
De rafapaim a 8 de Junho de 2004 às 00:13
Reboot... para quem não podia ajudar... acabou dando uma licção!!!
De Reboot a 8 de Junho de 2004 às 00:06
Tenho andado para te convidar. Se te apetecer... http://doLivrinho.blogs.sapo.pt e http://lesanimos.blogs.sapo.pt
De Reboot a 8 de Junho de 2004 às 00:04
ooppsss... Nesta não te posso "ajudar". Só uma vez me abri para com uma pessoa estranha e cedo e violentamente me arrependi. De resto, sempre procurei amigos/as para o fazer. Nunca entendi muito bem uma certa tendência para achar que um estranho terá mais 'objectividade' para nos ouvir. Um/a amigo/a também poderá (deverá) ser objectivo. Exigirá um certo esforço, outra forma de dialogar mas, é possível. Ou, pelo menos, eu acredito que sim. --/--- Má língua : um conhecido meu, que viveu em Boston, dizia que os americanos sempre têm mais um "familiar" do que nós. Nós temos, mulher e dois filhos, eles têm, mulher, dois filhos e um psiquiatra. eheheh...
(isto dá pano para mangas...) 1Abraço.

Comentar post