.Filosofias Recentes

. Find Me

. Outro reinício ...

. 5 sentidos...

. Calma! Está tudo perfeita...

. É desta vez...

. Desperdício

. Indiferenças

. Certezas!

. Perspectivas…

. A dor do amor

. Também é amizade

. A vida segue!

. Livro dos Loucos

. Basta o essencial

. Redes Sociais

. Eu no meu papel

. Indian Piggy

. Anonimamente ela...

. Voltou a acontecer

. Eu quero ser o teu proble...

. The Space Between

. o quatro do quatro a uma ...

. Sutilmente

. Deus está aqui

. Semelhanças...

.Filosofias Passadas

. Agosto 2017

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Abril 2013

. Outubro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

Domingo, 22 de Agosto de 2004

A Carta Que Eu Nunca Te Escrevi

Desde o começo não sei quem és
No fundo não te conheço
Se calhar sou o culpado se calhar até mereço,
Quis confiar em ti mas não deixaste ou não quiseste,
Imagino as coisas que tu nunca me disseste
As vezes queria ser mosca e voar por aí,
Pousar em ti,
Ouvir o que nunca ouvi,
Ver o que nunca vi nem conheci
Saber se pensas em mim quando não estás comigo,
Será que és minha amiga como eu sou teu amigo?
Será que falas mal de mim nas minhas costas?
Há coisas em ti que tu não mostras ou já não gostas,
Quantas vezes te pedi para seres sincera
Quem me dera!
Imagino tanta coisa enquanto estou á tua espera
Apostei tudo o que tinha,
Saí a perder sem perceber
Surpreendido por quem pensei conhecer,
Sem confiança a relação não resiste,
O amor não existe
Quando mentiste não fiquei zangado, mas triste...

Não peço nada em troca apenas quero sinceridade,
Por mais que doa e difícil que seja venha a verdade,
Será que me enganas, será que chamas o outro do que me chamas?
Será que é verdade quando dizes que me amas?
Será que alguém te toca em segredo, será que é medo?
Será que pra ti não passo de mais um brinquedo?
Será que exagero será que não passa de imaginação?
Será que é o meu nome que tens gravado no coração ou não?
Eu sou a merda que vês
Ao menos sabes quem sou
E sabes que tudo o que tenho é tudo aquilo que te dou,
Nunca te prometi mais do que podia,
Prefiro encarar a realidade a viver na fantasia...

Também te magoei mas nunca foi essa a intenção
E acredita que ver-te infeliz partiu-me o coração,
Mas errar é humano e eu dou obraço a torcer,
Reconheço os meus erros,
Sei que já te fiz sofrer.
Porque é que não me olhas nos olhos quando pedes perdão?
Será que por saberes que neles vejo o reflexo do teu coração?
E os olhos não mentem quando a boca o faz,
E se ainda não me conheces,
Então nunca conhecerás,
Serás capaz de fazer o que te peço?
Desculpa-me ser mal educado quando stresso assim me expresso...
Sou frio, praguejo o excesso
Se conseguíssemos dialogar já seria um progresso,
A chama enfraquece e está a morrer aos poucos
Porque é que é assim?
Será que estamos a ficar loucos?
Acho que nunca soubeste o quanto gostei de ti.....
Esta é a carta que eu nunca te escrevi!!!

Tribalistas

Quantas vezes não temos a coragem para falar..... e será que quem não arrisca não petisca?!</font>

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:55
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Vicente a 17 de Junho de 2005 às 20:43
A música em questão é de Boss AC..fica o reparo:)
De rafapaim a 25 de Agosto de 2004 às 17:08
malukinha... vale sempre a pena... nem que seja para eliminar os "ses" e viver de certezas!!!
De malukinha a 25 de Agosto de 2004 às 16:22
O pior na minha opinião, é falar e não receber resposta de quem nos ouve, frustante!
A cada dia que passa pergunto-me se vale a pena tudo...para depois ser " The End"!
:(
De rafapaim a 25 de Agosto de 2004 às 12:50
Alexandra Guerreiro... e menos uma música para fazer um ensaio! A letra diz tudo... Beijo
De rafapaim a 25 de Agosto de 2004 às 12:49
Alexandra Guerreiro... concordo que realmente temos de ter coragem de dizer o que sentimos... agora devemos fazer sem esperar do outro lado nada em troca... se correspondido melhor... se não nem adianta ficar pior! Gostar é algo nosso!
De Alexandra Guerreiro a 25 de Agosto de 2004 às 08:36
What am I to you
Tell me darling true
To me you are the sea
Vast as you can be
And deep the shade of blue

When you're feeling low
To whom else do you go
See I cry if you hurt
I'd give you my last shirt
Because I love you so

If my sky should fall
Would you even call
Opened up my heart
I never want to part
I'm giving you the ball

When I look in your eyes
I can feel the butterflies
I love you when you're blue
Tell me darlin true
What am I to you

Yah well if my sky should fall
Would you even call
Opened up my heart
Never want to part
I'm giving you the ball

When I look in your eyes
I can feel the butterflies
Could you find a love in me
Could you carve me in a tree
Don't fill my heart with lies

I will you love when you're blue
Tell me darlin true
What am I to you
What am I to you
What am I to you

Norah Jones

De Alexandra Guerreiro a 25 de Agosto de 2004 às 08:21
Amar, gostar de alguém é lixado sobretudo quando retorno não vê do outro lado. Por vezes parece que o outro não nos compreende, mesmo que ele diga sempre que nos entende. E se a outra parte o enganar, o difícil é mesmo perdoar. Bom era na cabeça do outro entrar para saber o que ele está a pensar. Mas quando não há compreensão, quando não há sinceridade nunca se acredita, mesmo que se diga a verdade. De nada vale mentir, é o diálogo que deve descobrir. Quando diz que nunca soubeste.....será que alguma vez disseste? Para quem houve pode doer mas quem diz muita coragem tem de ter. Para o amor exitir clareza e transparência tem de sentir.
De rafapaim a 23 de Agosto de 2004 às 17:58
M... era mesmo para lembrar da conversa!!! Quanto ao autor esta difícil ter certezas... muitos sites apontam Tribalistas... mas também encontrei falando no Boss AC!!!
De M! a 23 de Agosto de 2004 às 15:11
tribalistas?!?! isso ñ é dos daweasel!? "quem n arrisca n petisca" gostei do promenor...lembrei da conversa!aq*

Comentar post

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31