.Filosofias Recentes

. Outro reinício ...

. 5 sentidos...

. Calma! Está tudo perfeita...

. É desta vez...

. Desperdício

. Indiferenças

. Certezas!

. Perspectivas…

. A dor do amor

. Também é amizade

. A vida segue!

. Livro dos Loucos

. Basta o essencial

. Redes Sociais

. Eu no meu papel

. Indian Piggy

. Anonimamente ela...

. Voltou a acontecer

. Eu quero ser o teu proble...

. The Space Between

. o quatro do quatro a uma ...

. Sutilmente

. Deus está aqui

. Semelhanças...

. Onde você mora?

.Filosofias Passadas

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Abril 2013

. Outubro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

Quinta-feira, 17 de Novembro de 2011

Carta

"Como é que se pode estar assim triste?
É talvez do calor
desta crónica incapacidade
para adormecer antes das três ou quatro da manhã,
da casa silenciosa e escura,
de eu estar assim, sem rede, face a mim próprio.
E há outras coisas...
a morte do meu pai ainda ontem,
a família que fui deixando pelo caminho,
a minha mãe com quem não falo,
a minha saída de junto dos meus filhos, uma vez no Natal,
a mulher que lá ficou,
a casa degradando-se,
a minha culpa.
E o hoje:
o medo de que a morte ronde
e me leve dos meus filhos,
o medo que a morte ronde, sim;
a filha com quem não falo,
o filho que não é feliz,
a nossa vida que mudou tanto,
os problemas de dinheiro,
a insegurança,
a incapacidade para viver este quotidiano,
e ser feliz,
o desejo do campo e do mar
do não fazer nada, senão isto e aquilo,
de que tudo corra bem,
das nossas noites,
da loucura que é apenas
outra forma de entender as coisas...
Posso fazer muitas listas
de estar o Mário triste,
De tudo o que fiz,
de tudo o que não fiz,
de estar vazio o cais,
de nem haver nada que se fume...
Mas continuo fumando,
tal qual Álvaro de Campos
só com menos talento
e vou escrevendo isto,
linha a linha,
na poesia sem mistério
deste meu computador descolorido,
sem saber muito bem o que escrevo,
até para quem escrevo,
talvez para ti,
que não gostarás de saber disto..."

Ensaio do filósofo rafapaim às 21:40
link do post | comentar | favorito

.Agosto 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31