.Filosofias Recentes

. Outro reinício ...

. 5 sentidos...

. Calma! Está tudo perfeita...

. É desta vez...

. Desperdício

. Indiferenças

. Certezas!

. Perspectivas…

. A dor do amor

. Também é amizade

. A vida segue!

. Livro dos Loucos

. Basta o essencial

. Redes Sociais

. Eu no meu papel

. Indian Piggy

. Anonimamente ela...

. Voltou a acontecer

. Eu quero ser o teu proble...

. The Space Between

. o quatro do quatro a uma ...

. Sutilmente

. Deus está aqui

. Semelhanças...

. Onde você mora?

.Filosofias Passadas

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Abril 2013

. Outubro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

Sexta-feira, 31 de Março de 2006

No fim aprendemos...

Acredito que devemos agir de acordo com o que sentimos, com aquilo que consideramos certo, no momento.

Que importa hoje, sabermos se estamos certos ou errados?!
Mais que procurar saber qual o caminho certo, o importante mesmo é acreditarmos nas escolhas que fazemos.
No fim, saberemos se foi ou não a melhor escolha.
No fim aprendemos e crescemos com os erros que afinal foram cometidos.
No fim sentimo-nos mais realizados e confiantes por termos tido coragem de termos feito "aquela" escolha que parecia difícil.

Sejam quais forem as escolhas vais ter sempre toda a gente a apoiar... a celebrar, as pequenas vitórias que te vão preenchendo.

Que importa agora?!
Vive em conformidade com o que acreditas no momento.
O acaso por vezes... é bom.

Ensaio do filósofo rafapaim às 19:34
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 29 de Março de 2006

Nadaver

papagaioexpulso.gif

Vale a pena visitar este blog

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:16
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 13 de Março de 2006

Mas alguém quer saber disso?!

A forma mais eficaz de impedir que alguém leia um texto não é começar com advertências… qualquer texto precedido de “para maiores de 18”, “não aconselhável a pessoas sensíveis” (alguns exemplos) apenas aumenta a curiosidade do leitor e torna a leitura apetecível e obrigatória!!!

Se o que pretende mesmo, é passar uma informação para alguns (poucos) lerem, comece por destacar no cabeçalho o título de “Contrato de Licença e Aceitação da Microsoft”…

Resulta… e se resulta… não conheço muita gente que leia os acima mencionados conteúdos dos muitos programas que instala no seu computador… se fosse possível doar todos os meus órgãos e bens para uma qualquer causa aceitando e declarando que li e aceito todas as condições, garanto que já não escrevia esta filosofia barata!

Imaginem que era preciso responder a um quiz no final do contrato sobre os principais temas do contrato… acho que hoje ainda usava o Win3.1…

Melhor mesmo só o facto de colocarem logo na primeira janela a opção de:

- Li e aceito
- Li e não aceito

Em primeiro lugar se o tipo leu e não aceitar o que ganha com isso?!?
Em segundo um tipo que leu aquilo só pode aceitar porque (e nem sei o que lá diz) mas deve ser muito chato!
Em terceiro… voto para uma terceira opção: - “Não li, estou-me nas tintas para isso e instala a droga do programa logo!”

Ensaio do filósofo rafapaim às 03:44
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 8 de Março de 2006

Mulheres... o nosso obrigado!

Certo dia parei para observar as mulheres e só pude concluir uma coisa: elas não são humanas. São espiãs. Espiãs de Deus, disfarçadas entre nós. Pare para refletir sobre o sexto-sentido. Alguém duvida de que ele exista?

E como explicar que ela saiba exatamente qual mulher, entre as presentes, em uma reunião, seja aquela que dá em cima de você?
E quando ela antecipa que alguém tem algo contra você, que alguém está ficando doente ou que você quer terminar o relacionamento?
E quando ela diz que vai fazer frio e manda você levar um casaco? Rio de Janeiro, 40 graus, você vai pegar um avião pra São Paulo. Só meia-hora de vôo. Ela fala pra você levar um casaco, porque "vai fazer frio". Você não leva. O que acontece? O avião fica preso no tráfego, em terra, por quase duas horas, depois que você já entrou, antes de decolar. O ar condicionado chega a pingar gelo de tanto frio que faz lá dentro!
"Leve um sapato extra na mala, querido. Vai que você pisa numa poça..." Se você não levar o "sapato extra", meu amigo, leve dinheiro extra para comprar outro. Pois o seu estará, sem dúvida, molhado...

O sexto-sentido não faz sentido! É a comunicação direta com Deus! Assim é muito fácil...

As mulheres são mães! E preparam, literalmente, gente dentro de si. Será que Deus confiaria tamanha responsabilidade a um reles mortal? E não satisfeitas em gerar a vida, elas insistem em ensinar a vivê-la, de forma íntegra, oferecendo amor incondicional e disponibilidade integral. Fala-se em "praga de mãe", "amor de mãe", "coração de mãe"... Tudo isso é meio mágico...

Talvez Ele tenha instalado o dispositivo "coração de mãe" nos"anjos da guarda" de Seus filhos (que, aliás, foram criados à Sua imagem e semelhança.). As mulheres choram. Ou vazam? Ou extravasam? Homens também choram, mas é um choro diferente. As lágrimas das mulheres têm um não sei quê que não quer chorar, um não sei quê de fragilidade, um não sei quê de amor, um não sei quê de tempero divino, que tem um efeito devastador sobre os homens... É choro feminino. É choro de mulher...

Já viram como as mulheres conversam com os olhos? Elas conseguem pedir uma a outra para mudar de assunto com apenas um olhar. Elas fazem um comentário sarcástico com outro olhar. E apontam uma terceira pessoa com outro olhar. Quantos tipos de olhar existem? Elas conhecem todos... Parece que frequentam escolas diferentes das que freqüentam os homens! E é com um desses milhões de olhares que elas enfeitiçam os homens.

En-fei-ti-çam!

E tem mais! No tocante às profissões, por que se concentram nas áreas de Humanas? Para estudar os homens, é claro! Embora algumas disfarcem e estudem Exactas... Nem mesmo Freud se arriscou a adentrar nessa area. Ele, que estudou, como poucos, o comportamento humano, disse que a mulher era "um continente obscuro". Quer evidência maior do que essa? Qualquer um que ama se aproxima de Deus. E com as mulheres também é assim. O amor as leva para perto dele, já que Ele é o próprio amor. Por isso dizem "estar nas nuvens", quando apaixonadas.

É sabido que as mulheres confundem sexo e amor. E isso seria uma falha, se não obrigasse os homens a uma atitude mais sensível e respeitosa com a própria vida. Pena que eles nunca verão as mulheres-anjos que têm ao lado. Com todo esse amor de mãe, esposa e amiga, elas ainda são mulheres a maior parte do tempo. Mas elas são anjos depois do sexo-amor. É nessa hora que elas se sentem o próprio amor encarnado e voltam a ser anjos. E levitam. Algumas até voam. Mas os homens não sabem disso.

E nem poderiam. Porque são tomados por um encantamento que os faz dormir nessa hora...

Luiz Fernando Veríssimo

Ensaio do filósofo rafapaim às 11:45
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Quarta-feira, 1 de Março de 2006

Sonhar não custa nada

Sonhar não custa nada
O meu sonho é tão real
Mergulhei nessa magia
Era tudo que eu queria
Para ese carnaval
Deixe a sua mente vagar
Não custa nada sonhar
Viajar nos braços do infinito
Onde tudo é mais bonito
Nesse mundo de ilusão
Transformar o sonho em realidade
E sonhar com a mocidade
E sonhar com o pé no chão

Estrela de luz
Que me conduz
Estrela que me faz sonhar

Amor, sonhe com os anjos (não se paga)
Não se paga pra sonhar
Eu sou a noite mais bela
Que encanta o teu sonho
Te alucina por te amar (amar, amar)
Eu, sou a lua de mel
A estrela no céu
Vem me querer

Delírio sensual
Arco-íris de prazer
Amor, eu vou te anoitecer

Eu vejo a lua no céu
A mocidade a sorrir
De verde-e-branco na sapucaí

Samba Enredo da Mocidade Independente (1992)

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:48
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito

.Agosto 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31