.Filosofias Recentes

. Find Me

. Outro reinício ...

. 5 sentidos...

. Calma! Está tudo perfeita...

. É desta vez...

. Desperdício

. Indiferenças

. Certezas!

. Perspectivas…

. A dor do amor

. Também é amizade

. A vida segue!

. Livro dos Loucos

. Basta o essencial

. Redes Sociais

. Eu no meu papel

. Indian Piggy

. Anonimamente ela...

. Voltou a acontecer

. Eu quero ser o teu proble...

. The Space Between

. o quatro do quatro a uma ...

. Sutilmente

. Deus está aqui

. Semelhanças...

.Filosofias Passadas

. Agosto 2017

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Abril 2013

. Outubro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

Quinta-feira, 31 de Março de 2005

O Livro sobre Nada

Com pedaços de mim eu monto um ser atônito.

Tudo que não invento é falso.

É mais fácil fazer da tolice um regalo do que da sensatez.

Melhor jeito que achei para me conhecer foi fazendo o contrário.

A inércia é o meu acto principal.

Há histórias tão verdadeiras que às vezes parece que são inventadas...

Por pudor sou impuro.

Não preciso do fim para chegar.

Do lugar onde estou já fui embora.

Manoel de Barros

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:49
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 30 de Março de 2005

To Give

You're asking again
I told you before
The beautiful smile hides the troubled soul
Sad faces influence so easily
I already have enough of that inside of me

So funny you're still around after all these years
Ran away so many times, always ended up here
Could not ask for a thing from you
All you gave me I afforded to loose

You see...

It's all too sad for me...
It's too hard for me... to believe

It's too painful for me
It's so hard for me... to give

Too scared to jump, too dumb to fly
What side is stronger on this double-faced mind?
I make lies all day to keep the pain away
God knows my sins are already too big to pay

Even the tears I forget the taste
Maybe I should try to lick them off your face
And though I do try the best that I can
You had to be me to understand

That...

It's all too sad for me...
It's too hard for me... to believe

It's too painful for me
It's so hard for me... to give

Smile On
Hang On

Silence 4

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:55
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 29 de Março de 2005

No Ponto

Na vida existem aqueles que definem tudo preto no branco... outros há, que acreditam em diversas áreas cinzentas!!! Saber o que é o quê... é uma das dificuldades da vida!!!

Ainda mais quando temos gostos tão diferentes e extravagantes... mas isto tudo para apresentar mais um episódio das pequenas curiosidades da vida mundana!

Aquele pedido peculiar e característico de todos... o meu bife... é “No Ponto”!!!

- Ora bem a carne é bem passada, média (o que por si só já é um conceito interessante! Média... nem bem nem mal?!) ou mal passada???

- “No Ponto”!!!!

Mas que raio de lugar é esse... ainda não perceberam que para o ser humano tudo que é “ponto” é difícil de localizar e achar!!! Enquanto amantes falam-nos em um tal “Ponto G”, agora enquanto cozinheiros querem um tal de “No Ponto”...

Existem ainda várias variações a este “No Ponto”:

- “No Ponto” mas sem partes vermelhas!
- “No Ponto” mas não seco!
- “No Ponto” mas sem sangue!
- “No Ponto” mas sem passar do “ponto”! (?!?!?!)

O nosso ponto, não será porventura um lugar muito complicado de explicar... e no fim o que recebemos é a definição de “No Ponto” pela parte de quem nos serve?!

Todos temos uma noção do ponto... mais ou menos onde anda... já sei... nas áreas cinzentas da vida!

Ensaio do filósofo rafapaim às 21:53
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 28 de Março de 2005

Filosofias diferentes...

Altas horas da madrugada, aqueles dois bêbados filosofavam e, de repente, um deles pergunta:
- Supunhetemos e vaginemos catso um dia o mundo foda-se acabaço, o que fezes tu?
- Nádegas!
- Oh! Que pênis!
Ensaio do filósofo rafapaim às 23:39
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Domingo, 27 de Março de 2005

Feriadão

Existe uma relação curiosa entre fim-de-semana e mau tempo... a mesma com feriados, férias marcadas, folgas e tudo que possa ser encarado como um programa fora do escritório!!!

A mesma relação inversa existe com dia de trabalho e bom tempo... doença, programa de índio que não podemos faltar e tudo que torne a nossa presença indispensável num lugar em vez de ficar sem fazer nada (ou a fazer aquilo que se faz quando não temos nada para fazer!!!! ehehe!)

Podem falar que é mania da perseguição... mas acredito que se um dia marcar férias e viagem até a um deserto nesse dia chove lá!!! Se não chover, ao menos uma bela tempestade de areia vai levantar!!!

Para encurtar ainda mais a felicidade da nação... “divertimento de pobre dura menos que o salário mínimo”... resolvem só de implicância mudar o fuso horário, adiantando uma hora, desta forma fim-de-semana mais curto...

Para alegrar apenas uma coisa... amanhã deve fazer sol... eu vou trabalhar...

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:18
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sábado, 26 de Março de 2005

Garota Nacional

Aqui nesse mundinho fechado ela é incrível
Com seu vestidinho preto indefectível
Eu detesto o jeito dela, mas pensando bem
Ela fecha com meus sonhos como ninguém

Conhece-te a ti mesmo e eu me conheço bem
Sou um qualquer vulgar,
bem, às vezes me esqueço
E finjo que não finjo, ao ignorar eu sei
Que ela me domina no primeiro olhar

Eu quero te provar
Sem medo e sem amor
Quero te provar
Por quê?

Porque ela derrama um banquete, um palacete
Um anjo de vestido, uma libido do cacete
Ela é tão vistosa que talvez seja mentira
Quem dera minha cara fosse de sucupira

Conhece-te a ti mesmo e eu me conheço bem
Sou um qualquer vulgar,
bem, às vezes me esqueço
E finjo que não finjo, ao ignorar eu sei
Que ela me domina no primeiro olhar

Eu quero te provar
Cozida a vapor
Eu quero te provar
Sem medo e sem amor

Aqui nesse mundinho fechado ela é incrível
Com seu vestidinho preto indefectível
Eu detesto o jeito dela, mas pensando bem
Ela fecha com meus sonhos como ninguém

Skank

Ensaio do filósofo rafapaim às 12:31
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 25 de Março de 2005

Amor à Ciência

"As rãs são animais fascinantes, sabias? Para além de serem extremamente bonitas, como tu aliás, são importantíssimas para o ecossistema, e são fonte de inúmeros estudos de fisiologia. Através do funcionamento dos seus nervos motores podemos descobrir tanto sobre nós próprios. A espécie humana não é tão diferente das outras como se julga.

Sabes como se mata uma rã em laboratório? Utiliza-se um método extremamente eficaz e supostamente indolor. Um método “humano”, se assim desejares defini-lo. Eu costumo chamar-lhe hipocrisia, mas sabes como sou sarcástico. E, sinceramente, o sofrimento das rãs não me diz muito. A Ciência vem em primeiro lugar. São necessários grandes sacrifícios para se fazerem grandes descobertas. As rãs são as mártires do nosso tempo, se assim quiseres, sacrificando-se em prol dum bem maior.

Mas já me perdi em divagações, como sempre. Por isso nunca fui um professor brilhante. Os meus alunos queixavam-se que eu era incapaz de manter um fio condutor no meu raciocínio, e que os baralhava mais do que esclarecia. Cambada de incompetentes mentais, isso sim. Habituados a terem a papinha toda feita, com as suas sebentas de saber já mastigado e digerido, pronto a derramar em pseudotestes, que supostamente avaliam conhecimentos, mas que servem apenas de medida de aferição da capacidade de reter matéria inútil, como um corpo disfuncional retém as águas da urina.

Mas são um bicho interessante e abnegado, as rãs. Bem melhores que os ratos, que se contorcem como loucos, enormes bichos de esgoto, que só morrem à custa de doses massiças dum veneno qualquer. Habituados a viver na podridão, bichos nojentos. As rãs não, elas são as melhores amigas do fisiologista, os cães dos cientistas. Sobrevivem dentro do frigorífico por longos períodos de tempo, baixando o seu metabolismo para não morrerem. Economiza-se em comida e em instalações. Só vantagens, como podes ver.

Mas o que mais me fascina, como te disse anteriormente, é a forma como são mortas em laboratório, uma verdadeira maravilha da ciência. Introduz-se lentamente na zona da nuca, como um ritual religioso, uma agulha fina mas resistente. Pressiona-se até atravessar a pele e restantes tecidos, até atingir a delicada zona do cérebro. Aí chegados, movimentamos a agulha em círculos, até extinguir completamente qualquer actividade cerebral. Uma metodologia simples, eficaz, limpa e sem qualquer tipo de dano para o investigador, sem consequências morais. Os meus alunos queixam-se um pouco ao inicio, têm pruridos, dilemas éticos, mas são rapidamente conquistados pela beleza delicada da operação. Mais do que ciência, o processo torna-se numa verdadeira obra de arte.

O problema é que se torna viciante, queremos cada vez mais, melhor e maior. Quando nos apercebemos, uma simples rã já não chega, deixa de nos satisfazer. E passamos para uma lagartixa, animal um pouco mais complexo, embora ainda bastante em baixo na escala evolutiva. Depois, um dia, acordamos com vontade de experimentar numa avezinha indefesa, num pequenino mamífero, um ratinho, quem sabe?

Sabes,amor? Eu sou um cientista de topo, estou no cimo da escala evolutiva, da cadeia alimentar, os meus desejos têm de ser respeitados, porque um dia farão o mundo andar para a frente. É do resultado dos meus estudos que sairão grandes avanços para a humanidade. Por isso, amor, tu és a peça mais importante deste puzzle. Tu aí quieta, com esses olhos assustados, as extremidades amarradas e o corpo indefeso, vais salvar toda a humanidade, uma Messias dos tempos modernos, cura para o mundo doente.

Tu, meu amor, estás a fazer a dádiva mais bela e justificada de todas, ao doar o corpo para a ciência, ainda que involuntariamente.

E assim, amor, através do meu trabalho, seremos os dois imortais."

Texto publicado em Horas Negras por Sonia na Segunda-feira, Março 21, 2005

Ensaio do filósofo rafapaim às 19:24
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 24 de Março de 2005

Frágil...

Será que alguém não percebeu que a frase “frágil... esta parte para cima” devia ser colocada apenas num dos lados de uma caixa?!?!

Ou o tipo estava de brincadeira na hora que fez aquilo... ou o raio do objecto é assim tão sensível que nem existe um dos lados que ele se coloque em pé?!?! E se esse lado não existe, que raio de utilidade ele pode ter?!?!

Mesmo assim, cumpri as indicações... depois de uma colocação da caixa numa posição obliqua, assente entre a extremidade de dois dos lados (ou seja em bico), operação essa que durou mais de meia hora, consegui colocar de forma a que todos os “frágil... esta parte para cima” ficasse realmente para cima!!!

Abri... e realmente devia existir (e esse sim, com elevada pertinência) um aviso... “frágil... abrir com cuidado” ... mas esse não existe!!!
Mas enganados ao pensarem que estraguei qualquer coisa!!! Foi um sucesso... abertura sem problemas!!!

Ao olhar encontrei tudo como esperava... é que ler estes avisos numa caixa que estava embrulhada e depois de sacudida (sabe aquele chocalhar que fazemos para descobrir o que é... e que resulta num abanar vigoroso das caixas)...

Descobri rapidamente que era vidro... isso mesmo... a prenda era um monte de cacos de vidro!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Março de 2005

O que nos prende

E quando pensamos nisso... assusta.

Sempre o passado prende... pesa e agarra... é uma resistência a qualquer mudança!!! É sempre mais fácil quando mudamos para algo certo (mas existem certezas?!)?!

E quando começamos a pensar nisso... é já sinal que algo de errado se passa.

Somos seres de hábitos e rotinas, tudo que foge ao controle é visto como perigoso... fazemos por ignorar, por não ver, aquilo que já era... mais vale ficar como é... por vezes até vai continuar a ser!!!

E quando chega a hora de decidir... apenas pensar não basta!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:55
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Terça-feira, 22 de Março de 2005

Eu já...

"Eu já dei risada até a barriga doer, já nadei até perder o fôlego, já chorei até dormir e acordei com o rosto desfigurado. Já fiz cosquinha na minha irmã só para ela parar de chorar, já me queimei brincando com vela. Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto, já conversei com o espelho. Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés para fora, já passei trote por telefone, já tomei banho de chuva, e acabei me viciando. Já roubei beijo, já fiz confissões antes de dormir num quarto escuro para meu melhor amigo.

Já confundi sentimentos, peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido. Já chorei ouvindo música no ônibus. Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as mais difíceis de se esquecer. Conheci a morte de perto, e agora anseio por viver cada dia. Já fiz juras eternas, já escrevi no muro da escola, já chorei sentado no chão do banheiro, já fugi de casa para sempre, e voltei no outro instante. Já saí para caminhar sem rumo, sem nada na cabeça, ouvindo estrelas. Já corri para não deixar alguém chorando, já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo falta de uma só.

Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado, já me joguei na piscina sem vontade de voltar, já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar. Já senti medo do escuro, já tremi de nervoso, já quase morri de amor, mas renasci novamente para ver o sorriso de alguém especial. Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar. Já apostei em correr descalço na rua, já gritei de felicidade, já roubei rosas num enorme jardim. Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um "para sempre" pela metade. Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol, já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo um ir e vir sem razão. Foram tantas coisas feitas, momentos fotografados pelas lentes da emoção, guardados num baú, chamado coração."

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:58
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Segunda-feira, 21 de Março de 2005

Para decorar... e usar...

Umas frases para entrarem no nosso dia-a-dia...

• Afiado como navalha de barbeiro caprichoso.
• Assanhada como solteirona em festa de casamento.
• Atirado como interesse de viúva.
• Aumentar como barriga de prenha.
• Brilhar como ouro de libra.
• Cair bem como chuva em roça de milho.
• Calmo que nem água de poço.
• Causar alvoroço que nem mata-mosquito em convento.
• Chiar como uma locomotiva no cio.
• Cobiçada como anca de viúva nova e bonita.
• Comer mais que remorso.
• Como tosa de porco: muito grito e pouca lã.
• De boca aberta que nem burro que comeu urtiga.
• Devagar como enterro a pé..
• Enfeitado como bidê de china.
• Engraçado como gorda botando as calça.
• Esparramado como dedo de pé que nunca entrou em bota.
• Esperto que nem gringo de venda.
• Extraviado que nem chinelo de bêbado.
• Feia como mulher de cego.
• Fino e comprido como pio de pinto.
• Gosmento como cuspida de bêbado.
• Grosso como rolha pra poço.
• Grudado como bosta em tamanco.
• Judiado como filhote de passarinho em mão de piá.
• Louco como galinha agarrada pelo rabo.
• Mais à vontade que bugio em mato de boa fruta.
• Mais alto que cavalo de oficial.
• Mais amontoado que uva em cacho.
• Mais angustiado que barata de ponta-cabeça.
• Mais apressado que cavalo de carteiro.
• Mais arisca do que china que não quer dar.
• Mais assustado que velha em canoa.
• Mais atrasado que bola de porco.
• Mais baixo que vôo de marreca choca.
• Mais bonita que laranja de amostra.
• Mais branco que perna de freira.
• Mais caro que argentina nova na zona.
• Mais ciumenta que mulher de tenente.
• Mais comprido que esperança de pobre.
• Mais comprido que suspiro em velório.
• Mais conhecido que a reza do padre-nosso.
• Mais conhecido que parteira de campanha.
• Mais curto que coice de porco.
• Mais delgado que cachaço emprestado.
• Mais demorado que enterro de rico.
• Mais desconfiado que cego que tem amante.
• Mais duro que pau de preso.
• Mais eficiente que japonês na roça.
• Mais enfeitado que burro de cigano em festa.
• Mais enfiado que cueca em bunda de gordo.
• Mais engraxado que telefone de açougueiro.
• Mais enrolado que lingüiça de venda.
• Mais entravado que carteira em bolso de sovina.
• Mais fácil que fazer falar um rádio.
• Mais fechado que baú de solteirona.
• Mais fedorento que arroto de corvo.
• Mais firme que catarro em parede.
• Mais forte que peido de burro atolado.
• Mais gostoso que beijo de prima.
• Mais grosso que cintura de sapo.
• Mais importante que o irmão da rapariga do cabo.
• Mais inútil que buzina em avião.
• Mais inútil que mijar em incêndio.
• Mais ligado que rádio de preso..
• Mais linda que camisola de noiva.
• Mais medroso que cascudo atravessando galinheiro.
• Mais metido que piolho em costura.
• Mais nervoso que anão em comício.
• Mais perdido que surdo em bingo.
• Mais perfumado que mão de barbeiro.
• Mais pesado que pastel de batata.
• Mais prestimosa que mãe de noiva.
• Quem revela a fonte é água mineral.

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:57
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Domingo, 20 de Março de 2005

Evoluir mas sem muito trabalho

Este comentário feito ao ensaio anterior é a abertura da próxima filosofia barata…

O homem, por incapacidade e deficiência sentimental, não aprende através do amor mas sim da dor...portanto....se não aprende com os erros , como evolui??
Enviado por Alexandra Guerreiro em Março 20, 2005 12:35 PM

A resposta é simples… o homem inventa e evolui apenas para simplificar a sua vida… isto é, por pura PREGUIÇA!!! ehehe!

É a vontade de diminuir o seu esforço, o querer fazer cada vez menos que leva o homem por vezes a trabalhar!!! Para conseguir mais tempo de lazer e mais tempo jogado pelos sofás e deitado na cama o ser humano foi capaz de evoluir a extremos de inutilidade!!!

- A roda… para poupar o trabalho de andar!!!
- A imprensa… para poupar o trabalho de ter de conversar para saber das coisas!!!
- O controle remoto… para poupar o trabalho de se levantar e mudar o canal!!!
- O ar condicionado… para poupar o trabalho de se abanar ou aquecer!!!

E estes são apenas quatro exemplos de evolução técnica… porque a nível de relações pessoais as coisas também evoluíram graças à PREGUIÇA.

- Novos amigos... afinal a internet não afastou as pessoas!!!
- Novos amores… afinal uma sms/mail é mais fácil por vezes que uma declaração ao vivo!

Claro que pode ter monte de aspectos negativos… mas esta filosofia barata até que faz a anterior ter lógica! ehehe! Afinal erros ou preguiça…

Ensaio do filósofo rafapaim às 20:11
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 19 de Março de 2005

Existem finais tristes...

E o que fazer quando não sabe o que fazer…

Acreditar em filosofias baratas?!?!

- As coisas só terminam quando tudo esta bem?!

 - Existe sempre um final feliz… se ainda não aconteceu é porque ainda não terminou?!?!

No seguimento destas máximas eu lanço também uma outra minha filosofia barata… polémica, porque vai contra uma outra de conhecimento geral (espero não deixar os leitores mais sensíveis ofendidos!!! ehehe)

- Aprendemos com os nossos erros…

Claro que não… coloque esta teoria contra as primeiras descritas… se errou e as coisas deram para o torto, é só acreditar que ainda não terminou e que tudo se vai arranjar!!! Erros não são erros… apenas fazem aumentar o tempo que vai do começo ao “tudo acaba sempre bem”!!!

Assim, sempre que fizer uma tremenda duma asneira nem se precisa preocupar… aprender… não repetir…  qual é?!?! Se assim fosse as outras teorias perdiam a sua razão de ser!!!

Por isso… espere pelo seu Happy End!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:06
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Sexta-feira, 18 de Março de 2005

Agora é diferente

Antigamente o homossexualismo era proibido e considerado pecado ...

Depois, passou a ser tolerado....

Hoje é aceite como coisa normal....

Eu vou-me embora, antes que se torne obrigatório.
Ensaio do filósofo rafapaim às 23:58
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Quinta-feira, 17 de Março de 2005

Pedra no Sapato

E porque isto também é um blog adulto, para pessoas adultas (ou o suficientemente informadas)...

Aqui fica uma filosofia barata... da série “momentos embaraçosos entre casais”!!!

Toda a gente sabe o embaraço que é estar com alguém pela primeira vez... é sempre uma atrapalhação e vexame só!!! Como diz a Lei de Murphy... “ o que de mal pode acontecer... vai acontecer”!!!

Primeiro é preciso criar o clima... aquele ambiente romântico e sedutor (ok! Velas e incensos a queimar pela casa toda, luzes a meio tom e a música certa) – Fácil!

Segundo é preciso apostar na conversa... ser um bom ouvinte, prestar atenção nos detalhes e com sorte conseguir cair nas suas graças (não apenas ter graça!!!) – Médio

Terceiro é preciso saber a hora certa... nem sempre tudo é necessário explicar por palavras, existe aquele momento em que deve ser mais “agressivo”... aposte em carícias, beijos ardentes e apaixonados (tenha atenção nos preliminares) – Difícil

....

Cumprindo estas três regras (que nada mais são que uma teoria minha), você pode chegar naquele ponto em que “vai ter sorte”... é aqui que a verdadeira mestria entra em acção!!! São poucos os que conseguem alternar e criar o clima certo enquanto se dirigem para o quarto, tiram a roupa e ....

Chega o momento.... como é possível criar um clima romântico e apaixonado enquanto se tirar e desamarram uns ténis (tipo bota da tropa?!?!) é possível estar agachado a desapertar nós e a puxar fivelas?!?! Prestar atenção ou no parceiro ou tirar o raio da coisa?!?!

Pois é... existem realmente “botas impossíveis de descalçar”!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Quarta-feira, 16 de Março de 2005

Hands Clean

If it weren't for your maturity
none of this would have happened
If you weren't so wise beyond your years
I would've been able to control myself
If it weren't for my attention
you wouldn't have been successful and
If it weren't for me
you would never have amounted to very much

Ooh this could be messy
But you don't seem to mind
Ooh don't go telling everybody
And overlook this supposed crime

We'll fast forward to a few years later
And no one knows except the both of us
And I have honored your request for silence
And you've washed your hands clean of this

You're essentially an employee
and I like you having to depend on me
You're kind of my protege
and one day you'll say you learned all you know from me
I know you depend on me
like a young thing would to a guardian
I know you sexualize me
like a young thing would and I think I like it

Ooh this could be messy
But you don't seem to mind
Ooh don't go telling everybody
And overlook this supposed crime

What part of our history's reinvented and under rug swept?
What part of your memory is selective and tends to forget?
What with this distance it seems so obvious?
Just make sure you don't tell on me
especially to members of your family
We best keep this to ourselves
and not tell any members of our inner posse
I wish I could tell the world
cuz you're such a pretty thing when you're done up properly
I might want to marry you one day
if you watch that weight and keep your firm body

Alanis Morissette

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Terça-feira, 15 de Março de 2005

Pensamentos lavados

Enquanto jovens (e principalmente os meninos e não as meninas!) passamos uma fase “Cascão” – aquela em que tomar banho parece a tarefa mais chata e dolorosa do mundo!!!

Não é que se trate de uma aversão ao banho, apenas existe muitas outras maneiras de passar o tempo... jogar futebol, jogar computador, brincar com os amigos... só em outra fase brincar com as amigas!!!

O despertar das brincadeiras unissexo (porque até então, as brincadeiras eram exclusivas do Clube do Bolinha – só é permitida a entrada de homem!) ... revela uma fase totalmente oposta à anterior, esta é caracterizada por banhos longos e demorados!!!

O meio termo é alcançado após 1234567890 litros de água desperdiçados... a imaginação continua a ser menos dispendiosa e segura do que internet... ou um outro qualquer canal descodificado!

Aquilo que todo o jovem faz no duche é entre ele... e... ele!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Segunda-feira, 14 de Março de 2005

O mundo é um lugar pequeno...

“O mundo é um lugar pequeno...”

Sempre conhecemos alguém, que conhece alguém, que sabe de alguém, que é familiar de alguém, que por sua vez é amigo de alguém, que sabe de alguém que nos conhece!!! E não é preciso procurar muito...

Comece uma história da sua infância (se já saiu dela... eu ainda tento descobrir isso?!)... e no meio “aquele mesmo alguém” vai interromper para falar que também esteve lá! Nada do que fazemos portanto parece original... droga!

Mesmo a maior metrópole é nada mais que uma pequena vila onde toda a gente se conhece... eu não conheço ninguém do meu prédio mas de certeza que algum deles ou conhece, ou sabe, ou esteve, ou fez algo que eu conheço, sei, estive, fiz!!!

E isso é positivo... depende?!

Tema de conversa para aqueles encontros na rua com pessoas que nem sequer lembra o nome mas que é possível que exista uma ligação entre lugares e pessoas comuns...

E é negativo como...

Principalmente quando quero fazer alguma coisa que não devo e existe sempre aquele “alguém” que me conhece... e que não devia lá estar!!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Domingo, 13 de Março de 2005

E fiquei calado

Meus caros leitores... isto foi do pior que já ouvi....

"Oh filha... (pausa de três segundos)... o teu pai é pedreiro?!?"

...

"É que tens cá um cu que é obra"

Isto nem merece filosofia, teoria, comentário mas é marcante!!! Existem gostos para tudo... e esses não se discutem... mas por favor... existem alguém que gosta disto?!?!

Se respondeu sim.... deixou-me sem palavras... o que não é fácil!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:55
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
Sábado, 12 de Março de 2005

Tendência

A tendência actual é não seguir tendências. As pessoas querem seguir o seu próprio caminho.

As decisões têm a desvantagem de termos de optar entre uma coisa e outra. Como era bom que fosse diferente...

Ensaio do filósofo rafapaim às 19:47
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Sexta-feira, 11 de Março de 2005

Driving You Slow

Finally, someone that cares for you.
And… I dress my songs because I care for you…
I’ll take my time driving you slow.
I’m still driving out cause I care for you, and then,
someone loves you. I don’t care for you, and I…
I will get my life, because I will be your life.

And there were so many times that I cared for you, but then,
I found that girl that could smile for you.
And I start to build something - I don’t care - you said…
Why should I care? I said - I will get my love
because I will be your love.

Don’t look back
and I will build my world,
I will sing my songs
I will keep my helmet on.

And you can ruin my world,
or ruin my songs
I will keep my helmet on.

The Gift

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Quinta-feira, 10 de Março de 2005

Eu podia... pois podia!

Eu podia ser jogador de basquetebol... se tivesse mais 20 cm
Eu podia ser jockey... se tivesse menos 20 cm
Eu podia ser modelo... se tivesse menos 20kgs
Eu podia ser lutador de Sumo... se tivesse mais 20kgs

Eu podia ser artista.... se tivesse mais sensibilidade
Eu podia ser tirano... se tivesse menos sensibilidade
Eu podia ser bondoso... se tivesse mais generosidade
Eu podia ser avarento... se tivesse menos generosidade

Eu podia ser tanta coisa... se tivesse mais sonhos
Eu podia ser um falhado... se tivesse menos sonhos
Eu podia... estar bem melhor
Eu podia... estar bem pior

Felizmente, eu sou mais eu!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:12
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Quarta-feira, 9 de Março de 2005

Desconfie dos seus amigos!

- Vamos sair para dançar hoje?
- Dançar?

(...)

- Tô a fim de pintar meu cabelo... vamos juntos?
- Pintar?

(...)

- Eu acho que eu vou fazer alguns exercícios... você já reparou o abdômen daqueles caras de academia? Barriga sequinha!
- Tchau.

Momentos *Mágicos*

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 8 de Março de 2005

Também conta

Não escrevo um diário... e normalmente não escrevo por pedido...

Diário seria algo pessoal, que não ia querer revelar aos outros... mesmo sem tocar em nomes ou descrever pormenorizadamente as situações podia sempre atingir alguém!!!

Sugestões de temas... aceito obrigado!

Mas acontecem coisas na vida que é impossível não falar acerca delas... momentos que possivelmente todos já tiveram (mas que quando são connosco parecem sempre diferentes e por vezes especiais!).

Ou pessoas que estando perto apenas uma vez transmitem algo que sabemos que somos mais felizes ao lado dessas pessoas... ou gente que nunca falou ou esteve “ao vivo” e sabemos que são verdadeiramente nossos amigos...

A todos que marcam de alguma forma a nossa vida fica uma mensagem...

Não podendo aliviar a dor,
Também não pretendo causar mais,
Gostava de poder fazer-te feliz,
Tenho a certeza que me farias feliz,
...
Mas fica... o desejo,
Mesmo longe o carinho por alguém também conta!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:55
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Segunda-feira, 7 de Março de 2005

Blog Power

"Gosto de blogs. Tenho de confessar. Gosto mais de blogs que de jornais e, ultimamente, passo a vida frente ao computador. Não me interessam blogs importantes, com gente importante, que se identifica largamente...

Os gajos "importantes", pelo contrário, estão sempre preocupados com o política e socialmente correcto. Deve ser uma trabalheira ter tanto siso, tanta lógica, tanta coerência. Tanto nome!

Normalmente é malta nova. Malta que conheço de outros carnavais, a quem já corrigi muita vírgula! São cáusticos. Tem uma ironia-escárnio! Frios e cínicos... Não olham a meios para atingir fins. Gosto dos blogs em que possa sentir o calor da mão que os escreve. Isso é muito bonito. Sentir aquela humanidade anónima que tem dias bons e maus, que se contradiz, que admite os erros e se orgulha dos ganhos.

Perceber que se transformam, que em Março já não dizem o mesmo que em Setembro, que adquiriram novas crenças... Gosto dos blogs que me escandalizam, me provocam, que são diferentes, que ousam arriscar. O universo dos blogs é um fascinante mundo de verdade anónima em que não interessa quem está do outro lado, que posição ocupa, que idade ou aspecto tem."

Ensaio do filósofo rafapaim às 11:00
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Domingo, 6 de Março de 2005

Gerações...

Domingo… já foi dia de ir à missa… hoje trocamos pelo centro comercial e MacDonalds!!!

Que infiéis… vós pensais!!! … mas ainda existe quem vista o melhor fato!!! Ehehe!

Onde vamos parar?! Quando programa familiar é substituído por estes rituais… a geração “rasca” já passou de moda, agora é a do consumismo, globalização e perca de valores morais!!!

Parece crime… que coisa feia… é isso que tentam transmitir aos vossos?! – Epá… vai parando!!!

Não penso nada disto… acredito que a casa arrumada, não ter loiça para lavar e conseguir que as crianças fiquem contentes e uma horas sem berrar, destruir e desarrumar vale bem o esforço dos pais de comerem qualquer fast-food!!!

Não quero parecer cruel… mas um BigMac ainda é mais saboroso que a hóstia!

Ensaio do filósofo rafapaim às 15:47
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sábado, 5 de Março de 2005

/j Contando_Vantagem

< Amigo_de_aparelho > Preciso de 5 garrafas de cerveja pra ficar bêbado!
< Amigo_com_tique_no_ombro > Só isso?! Eu preciso de no mínimo 10 garrafas de cerveja pra ficar bêbado!
< Amigo_do_meu_amigo_de_aparelho> Que mocinhas vocês, hein?! Eu só fico bêbado depois da vigésima!
< Anonimo_Incognito > ...
< Amigo_de_aparelho > E você anônimo?
< Anonimo_Incognito > 50 ...
< Amigo_com_tique_no_ombro > 50 ???!!!
< Anonimo_Incognito > 30 pro táxi levar vocês dois pra casa e mais 20 pra levar o último aí pra tomar glicose...

* Anonimo_Incognito has quit IRC (Quit: Se for dirigir, não beba... Se beber, não dirija... não dirija esse bafo de cerveja em minha direção...)

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 4 de Março de 2005

Missing

Please, please forgive me,
But I won’t be home again.
Maybe someday you’ll look out,
And, barely conscious, you’ll say to no one:
Isn’t something missing?

You won’t cry for my absence, I know
You forgot me long ago.
Am I that unimportant?
Am I so insignificant?
Isn’t something missing?
Isn’t someone missing me?

Even though I’d be sacrificed,
You won’t try for me, not now.
Though I’d die to know you love me,
I’m all alone.
Isn’t someone missing me?

Please, please forgive me,
But I won’t be home again.
I know what you do to yourself,
I breathe deep and cry out:
Isn’t something missing?
Isn’t someone missing me?

Even though I’d be sacrificed,
You won’t try for me, not now.
Though I’d die to know you love me,
I’m all alone.
Isn’t someone missing me?

And if I bleed, I’ll bleed,
Knowing you don’t care.
And if I sleep just to dream of you
And wake without you there,
Isn’t something missing?
Isn’t something...

Even though I’d be sacrificed,
You won’t try for me, not now.
Though I’d die to know you love me,
I’m all alone.
Isn't something missing?
Isn’t someone missing me?

Evanescence

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:43
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 3 de Março de 2005

Razão!

E quando não sei o que falar... fico calado!!!

E quando não sei o que escrever... fico quieto!!!

Porque filosofia barata não é o mesmo que dizer disparates...

Nem tento hoje pensar... tenho o pensamento em outro lugar...

Queria saber falar o que queres ouvir... escrever o que queres ler... e quanto ao fazer... não o que quero, não o que queres, mas o que tem de ser feito!!!

Se existe um tempo certo... porque chegamos sempre atrasados?!
Se existe uma altura ideal... porque estamos sempre no sítio errado?!

Se existe um lugar certo... porque estamos aqui?!
Se existe uma pessoa ideal... porque não estas aqui?!?

Será que a filosofia também tem razões que o a própria mente desconhece?!?!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quarta-feira, 2 de Março de 2005

Verdades escondidas...

"Se você tivesse acreditado nas minhas brincadeiras de dizer verdades... teria ouvido verdades que teimo em dizer brincando.

Eu falei muitas vezes como palhaço... mas nunca desacreditei da seriedade da plateia que sorria."

Charles Chaplin

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:38
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 1 de Março de 2005

Não ocupa lugar

O saber não ocupa lugar... e o não saber ocupa?!

Ignorância não fica bem a ninguém... sei lá... talvez não combine bem com a roupa que tem vestida (que horror!!!).

Ser bonito sem ser inteligente não esta na moda... mas poupa imenso trabalho... enquanto uma se compra a outra temos de fazer por isso!!!

“Homens inteligentes não se casam com mulheres bonitas”

E mulheres inteligentes fazem o quê?!?! Casam com homens ricos, inteligentes e bonitos?!

Muito do que aprendi além de servir de estímulo cerebral pouco serviu para a minha vida (e até acredito que certas coisa não servem para a vida de ninguém!!!)... é que nem servem para meter conversa num elevador!!!

Que a distância mais curta entre dois pontos seja uma recta pode dar jeito... mas acredite que na vida e principalmente em questões de sentimentos e emocionais a distância mais curta em regra é mesmo dar uma grande volta!!!

Que a elipse e a hipérbole são ao mesmo tempo formas geométricas e figuras de estilo pode parecer bem... mas que a bola de futebol é redonda é o que toda a gente sabe!

Como no tamanho.. o que importa do “saber” é saber o que fazer com ele!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31