.Filosofias Recentes

. Find Me

. Outro reinício ...

. 5 sentidos...

. Calma! Está tudo perfeita...

. É desta vez...

. Desperdício

. Indiferenças

. Certezas!

. Perspectivas…

. A dor do amor

. Também é amizade

. A vida segue!

. Livro dos Loucos

. Basta o essencial

. Redes Sociais

. Eu no meu papel

. Indian Piggy

. Anonimamente ela...

. Voltou a acontecer

. Eu quero ser o teu proble...

. The Space Between

. o quatro do quatro a uma ...

. Sutilmente

. Deus está aqui

. Semelhanças...

.Filosofias Passadas

. Agosto 2017

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Abril 2013

. Outubro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

Terça-feira, 30 de Novembro de 2004

You Gotta Be

Listen as your day unfolds
Challenge what the future holds
Try and keep your head up to the sky
Lovers, they may cause you tears
Go ahead release your fears
Stand up and be counted
Don't be ashamed to cry

You gotta be...
You gotta be bad, you gotta be bold, you gotta be wiser
You gotta be hard, you gotta be tough, you gotta be stronger
You gotta be cool, you gotta be calm, you gotta stay together
All I know, all I know, love will save the day

Herald what your mother said
Read the books your father read
Try to solve the puzzles in your own sweet time
Some may have more cash than you
Others take a different view
My oh my...

You gotta be bad, you gotta be bold, you gotta be wiser
You gotta be hard, you gotta be tough, you gotta be stronger
You gotta be cool, you gotta be calm, you gotta stay together
All I know, all I know, love will save the day

Time ask no questions, it goes on without you
Leaving you behind if you can't stand the pace
The world keeps on spinning
can't stop it, if you tried to
This best part is danger staring you in the face

Des'ree

Ensaio do filósofo rafapaim às 19:13
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 29 de Novembro de 2004

Trauma de nascença

Será que existe alguma filosofia barata no meio disto tudo?!?!

Depois decido...

Ando a desenvolver a seguinte teoria... os nomes escolhidos para as crianças influenciam o seu futuro, isto é, não moldam a personalidade mas ditam o seu sucesso!!!

Ora bem, e como faz muito tempo que não utilizo o método cientifico mais fiável que conheço e que por mim foi inventado (isto é, nos moldes do meu blog...) ... ele surge de novo...

O “jogo do faz de conta” numa versão light e cheia de suposições:

... Papai e Mamãe Paim olham para aquele novo ser e resolvem chamar de rafapaim (não deixaram colocar rafapaimzinho... mas era o que queriam!!!) ...

... anos mais tarde o rafapaim decide ser jogador de futebol... probabilidade de ser um craque igual a zero... um tipo chamado rafapaim ou zé manel (e me perdoem os detentores desse nome!) nunca chegaram a ser estrelas famosas de futebol!

... anos mais tarde o rafapaim decide ser pintor, escultor, músico, (artista)... probabilidade de ser um génio cultural igual a 50%, estes pseudo-intelectuais talvez até gostassem do nome... mas mesmo assim eu acho que não pegava assim com um alberto pedrosa ser vedeta!

... anos mais tarde rafapaim decide ser um serial killer (ahhh, pois é... julgam que é chegar ali, matar uns quantos e és um assassino famoso e respeitado... nada disso, tens de batalhar muito e suar... e depois só escolheu esse destino porque os teste psicotécnicos deram esse resultado como sendo a melhor carreira!)... probabilidade de ser temido pela humanidade igual a 0, é um nome que não faz tremer ninguém... é feliz assim como nomes como Flora, Margarida, Rosa... enfim... plantas e flores!

... anos mais tarde rafapaim decide não fazer porra nenhuma... (fácil é ocupar o tempo a trabalhar, decidir o que fazer com 24hs e não ter nenhuma obrigação é que é tarefa árdua!)... probabilidade de sucesso igual a 0, é um nome que não dá para fazer nem mesmo porra nenhuma!

E assim se revela que o nome influência não a personalidade mas sim a probabilidade de sucesso... e demonstrei que o nome rafapaim apenas serve para que eu escreva umas quantas filosofias baratas, desse modo se não quer um filho assim... não traumatizem as crianças!

Moral da história... afinal não tinha nenhuma filosofia barata!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Domingo, 28 de Novembro de 2004

Mudanças inconstantes

Ainda não entendi o que leva as pessoas a mudar de personalidade na presença de alguém?

Afinal as pessoas são aquilo que demonstram ser na nossa frente ou nas nossas costas?! Quem não teve esse amigo que parecia ser 5 estrelas, mas que depois soubemos que era uma autêntica víbora?!

Em privado somos uma coisa... em público somos outra...

- necessidade de afirmação?
- ser engraçadinho?
- influenciável?
- inserção social?
- seguidor de maiorias?

São muitas as razões... mas todas parecem igualmente perigosas... quero amigos verdadeiros, fiéis e para todas as ocasiões! Talvez seja por isso que tenho poucos amigos...

Tento compreender as pessoas... devem ser aquilo que querem... agora pondero bastante sobre essas suas formas de ser! Não procurem a aprovação... achem-se primeiro a vocês!

Ensaio do filósofo rafapaim às 02:09
link do post | comentar | ver comentários (48) | favorito
Sábado, 27 de Novembro de 2004

She Will Be Loved

Beauty queen of only eighteen
She had some trouble with herself
He was always there to help her
She always belonged to someone else

I drove for miles and miles
And wound up at your door
I've had you so many times but somehow
I want more

I don't mind spending everyday
Out on your corner in the pouring rain
Look for the girl with the broken smile
Ask her if she wants to stay awhile
And she will be loved
She will be loved

Tap on my window knock on my door
I want to make you feel beautiful
I know I tend to get so insecure
It doesn't matter anymore

It's not always rainbows and butterflies
It's compromise that moves us along
My heart is full and my door's always open
You can come anytime you want

I don't mind spending everyday
Out on your corner in the pouring rain
Look for the girl with the broken smile
Ask her if she wants to stay awhile
And she will be loved
She will be loved

I know where you hide
Alone in your car
Know all of the things that make you who you are
I know that goodbye means nothing at all
Comes back and begs me to catch her every time she falls

Maroon 5

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Sexta-feira, 26 de Novembro de 2004

Cada coisa a seu tempo

... A minha conclusão foi a de que é uma amizade definitiva.

Acho que já passei para aquela fase do amigo que um dia vai lá estar quando ela mais precisar. Afinal de contas todos temos más fases, não é?

Antes assim...

De qualquer forma, dali vai sair sempre uma publicidade muito elogiosa, para quem lhe perguntar sobre mim... O que é sempre bom. Porque nada melhor que a publicidade de boca a boca.

Mas fiquei contente com o elogio...
As sms, ficam guardadas para outra altura.
Agora vou passar a fase do silêncio...
do estilo a vida continua...

Quem sabe... um dia destes, a gente não se encontre por aí numa esquina qualquer?!
Não és tu... é ela, e eu.

Acho que deu só amizade. Mas as comparações vão ser inevitáveis...
E como irritam um gajo... A mim não... Mas ao outro sim.

O pior é que o gajo se souber, já deve ter percebido tudo.
E claro já lhe mostrou o seu (e também o meu) ponto de vista...
É uma cantada do caraças...

Ao que ela respondeu que nem todos são como ele.
Claro que não...
Pensamos nós... Tu e eu...
Nós somos muito mais inteligentes...
Pese embora a eficácia ainda deixe alguma coisa a desejar.

Mas estamos lá...
Ou melhor, neste caso,
Eu é que estou lá...

Quanto mais não seja,
No baú das eternas boas recordações...
Pode parecer filosófico... e demasiado profundo...

Mas onde é que todos nós queremos estar?!
No bem intimo e profundo
lugar onde só os melhores conseguem chegar...

Ou seja...

Na lembrança de um tempo...
Um tempo de se lembrar ... Sempre.

Cada coisa a seu tempo.

Ensaio do filósofo rafapaim às 02:02
link do post | comentar | ver comentários (40) | favorito
Quinta-feira, 25 de Novembro de 2004

Para o Papai Paim!!!

Pai é que nem filosofia barata... por ser nosso(a) já é melhor do que o(a) dos outros(as)!!!

Devo no entanto realçar, que após ouvir algumas outras filosofias e argumentos, admito meus erros, minha ignorância e posso até adoptar outras ideias... mas como já várias vezes aqui escrito... – a sua filosofia barata é tão boa quanto a minha só pelo facto de ser sua!

Isto tudo para apenas desejar...

Muitos Parabéns e Muitas Felicidades ao melhor Pai do mundo!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 20:46
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
Quarta-feira, 24 de Novembro de 2004

Dose Dupla

Valsa de um Homem Carente          Demónios Interiores

Se alguma vez te parecer                  Sentei à minha mesa
        ouvir coisas sem sentido             os meus demónios interiores
    não ligues, sou eu a dizer               falei-lhes com franqueza
       que quero ficar contigo                dos meus piores temores
 e apenas obedeço                                                 
   com as artes que conheço                tratei-os com carinho
       ao princípio activo                          pus jarra de flores
   que rege desde o começo                   abri o melhor vinho
         e mantém o mundo vivo               trouxe amêndoas e licores

Se alguma vez me vires fazer             chamei-os pelo nome
        figuras teatrais                         quebrei a etiqueta
        dignas dum palhaço pobre        matei-lhes a sede e a fome
sou eu a dançar a mais nobre          dei-lhes cabo da dieta
das danças nupciais                                         
      vê minhas plumas cardeais              conheci bem cada um
         em todo o seu esplendor            pus de lado toda a farsa
   sou eu, sou eu, nem mais                 abri a minha alma
              a suplicar o teu amor             como se fosse um comparsa

        É a dança mais pungente             E no fim, já bem bebidos
       mão atrás e outra à frente             demos abraços fraternos
 valsa de um homem carente              saíram de mansinho
     mão atrás e outra à frente               aos primeiros alvores
      valsa de um homem carente            de copos bem erguidos
                                                         brindámos aos infernos
                                                         fizeram-se ao caminho
                                                        sem mágoas nem rancores

                                                     Adeus, foi um prazer!
                                                    disseram a cantar
                                                      mantém a mesa posta
                                                       porque havemos de voltar

Jorge Palma
Letras: Carlos Tê

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:01
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Terça-feira, 23 de Novembro de 2004

Paga e Cala

Existem coisas muito bem conseguidas....

Planos maquiavélicos muito bem estruturados!!!

Os impostos são uma bela definição disso, além de termos de pagar uma percentagem daquilo que ganhamos, ainda temos de preencher uma data da papéis, e caso não sejam entregues na hora certa pagar uma multa...

Trabalho para conseguir uma salário e pago...
Preencho uns papéis para pagar....
Atraso-me e pago...

O melhor de tudo é que este dinheiro depois é canalizado para uma série de coisas inúteis e as quais nunca vou usufruir...

As forças armadas... ora bem, acho que sozinho não vou conseguir provocar uma guerra ou invadir outro país!

A polícia e as prisões... não espero precisar de um nem conhecer o outro!

Educação... seguramente utilizei... mas essa devia ter sido paga com os impostos dos meus pais (como não tenho ainda filhos ando a pagar educação para quem?)

Utilizo as estradas e por vezes os correios... mas até isso a internet veio mudar!!!

(Relembrando que nem tudo o que está escrito tem de corresponder exactamente à opinião do autor)

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Segunda-feira, 22 de Novembro de 2004

Esqueci-me de algo

Até pode ser que esta filosofia seja por eu não gostar de queijo...

Isto é... na pizza pode ser... no chesseburger pode ser... na tosta mista pode ser... com goiabada pode ser...

Mas decididamente não gosto!!!

Quem lembrou de fazer essa associação de quem come muito queijo se torna esquecido?!?!

Nunca vi nenhum rato (e também não sei porque esta associação de ratos e queijo) se esquecer de onde era a toca, também e seja feita justiça, nunca vi muitos ratos!!!

E se o pessoal coloca queijo nas ratoeiras e eles são mortos sem terem a oportunidade de comer isso não devia significar que eles não deviam ser esquecidos... então porque será que caem sempre nesse velho truque?!?! Será que esquecem?!?!?!

O queijo não é um derivado do leite? E quem bebe leite não cresce saudável... ou será que eles também se esqueceram disso?!?!

Podemos colocar a culpa do queijo no insucesso escolar?! E as ratazanas também gostam de queijo ... nunca tive um hamster... eles gostam de queijo por acaso?!?

Por isso mais vale o fiambre!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:55
link do post | comentar | ver comentários (48) | favorito
Domingo, 21 de Novembro de 2004

Dias Melhores

Vivemos esperando
Dias melhores
Dias de paz, dias a mais
Dias que não deixaremos para trás

Vivemos esperando
O dia em que seremos melhores
Melhores no amor, melhores na dor

Melhores em tudo

Vivemos esperando
O dia em que seremos para sempre
Vivemos esperando
Dias melhores para sempre

Vivemos esperando
Dias melhores
Dias de paz, dias a mais
Dias que não deixaremos para trás

Vivemos esperando
O dia em que seremos melhores
Melhores no amor, melhores na dor

Melhores em tudo

Vivemos esperando
O dia em que seremos para sempre
Vivemos esperando
Dias melhores para sempre

Jota Quest

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:53
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Sábado, 20 de Novembro de 2004

/J Sonhador

Adorei este post... viva os sonhadores... felizes os realistas!!!</em>

< Menina_de_maos_dadas_com_o_Anonimo> Amo você.
< Anonimo_Incognito> ...
< Menina_de_maos_dadas_com_o_Anonimo> Não vai me dizer nada?!
< Anonimo_Incognito> Amor é o ponto fraco de todo super-herói... Não me diga isso sem ter certeza de que não vai partir meu coração...
< Menina_de_maos_dadas_com_o_Anonimo> Por que eu partiria seu coração?! Afinal, como eu já te disse, amo você.
< Anonimo_Incognito> Super-heróis são sonhadores... E sonhos encantam, mas não te asseguram...
< Menina_de_maos_dadas_com_o_Anonimo> Por que está me dizendo isso?
< Anonimo_Incognito> Porque é fácil amar um sonhador... Aliás, difícil é não amá-los... Mas não dê a mão a um deles sem saber se conseguirá acompanhá-los em seus sonhos...
< Menina_de_maos_dadas_com_o_Anonimo> Sei que posso acompanhá-los.
< Anonimo_Incognito> Se um dia pedir de mim mais que sonhos, vai me fazer chorar por não poder atendê-la...
< Menina_de_maos_dadas_com_o_Anonimo> Mas você vai poder atender. Afinal, sonhos não se realizam?!
< Anonimo_Incognito> Realizam sim... Mas não é o que deve se esperar deles...
< Menina_de_maos_dadas_com_o_Anonimo> O que devo esperar, então?
< Anonimo_Incognito> Não deve esperar... Sonhos não precisam te trazer nada... Apenas te levar...
< Menina_de_maos_dadas_com_o_Anonimo> Preciso de algo mais concreto.
< Anonimo_Incognito> Se fosse concreto, não seria sonho...
< Menina_de_maos_dadas_com_o_Anonimo> ...
< Anonimo_Incognito> ...
< Menina_de_maos_dadas_com_o_Anonimo> ...
< Anonimo_Incognito> Ainda me ama...?
< Menina_de_maos_dadas_com_o_Anonimo> Amo, mas preciso de mais do que isso.
< Anonimo_Incognito> É o que exatamente nunca se deve dizer a um sonhador...
* E as mãos se soltam...

* Anonimo_Incognito has quit IRC (Quit: Não sei o que dizer... É a realidade... E, de realidade, eu não entendo... )

Teclado pelo Anonimo_Incognito

Ensaio do filósofo rafapaim às 21:05
link do post | comentar | ver comentários (70) | favorito
Sexta-feira, 19 de Novembro de 2004

Cale-se e Guie

Adoro viajar. Muito mais do que alguma vez gostei de chegar a um sítio.

A chegada é sobrevalorizada. É muito mais excitante andar de um lado para o outro. De avião, de barco, de comboio, a pé, seja como for. Gosto é de andar de um lado para o outro.

Acho que os destinos foram inventados para não darmos a sensação de que andamos a deambular, meios perdidos.

A minha forma preferida de me deslocar é de carro.Faço parte desse grupo de pessoas. Adoro carros. É o objecto físico mais sensacional que alguma vez vi. Não sei porquê, para dizer a verdade.

A minha teoria é de que, quando estamos a guiar, estamos ao mesmo tempo fora e dentro, imóveis e em movimento. Acho que isso é obra.

Jerry Seinfeld

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:58
link do post | comentar | ver comentários (30) | favorito
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2004

Pura inocência...

Para os pais as filhas sempre vão ser meigas e indefesas...

Coitados... também são sempre os últimos a saber!!! Qualquer aproximação com as filhas depois que fazem uns 14/15 anos até ao fim da vida será sempre com segundas intenções!

Será que todos os homens são o Lobo Mau e querem comer o Capuchinho Vermelho... quando era com eles criticavam a tirania do pai da menina, nunca percebiam que por vezes é só amizade e quando não era... ele era o melhor que podia acontecer na vida delas!!!

Ou seremos sempre mais novos e para os pais demasiado infantil e sem perspectivas de futuro... ou demasiado velhos e apenas nos queremos aproveitar...

Eu desenvolvo a teoria que como os homens não podem brincar de bonecas, revelam todo o seu recalcamento infantil nas suas filhas, fazendo delas Barbies... assim os Ken da vida só vem atrapalhar!!!

E a teoria do “amor não tem idade”, e essas filosofias “mais” que baratas... pois só se aplica até você estar sozinho, depois que nasce a sua menina a história é outra! Temos de ser uns para os outros... existir uma irmandade que faça lembrar que um dia você foi novo e que pode existir gente boa!!!

Porque será que tenho óculos... para te ver melhor....
Porque será que tenho nariz grande... para te cheirar melhor...
Porque será que tenho orelhas grandes... para te ouvir melhor...
Porque será que tenho a boca grande.... ok... dessa forma o Capuchinho já tinha fugido.... é bicho feio!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:32
link do post | comentar | ver comentários (54) | favorito
Quarta-feira, 17 de Novembro de 2004

Olhe... desculpe!!!

Como é complicado chamar algumas pessoas...

Os pais dos nossos amigos... aqueles que você frequenta a casa e que existe proximidade... Sr. ou Sra. fica um pouco frio, mas chamar pelo nome próprio alguém bem mais velho que nós também é estranho...

Os nossos antigos professores... então depois do curso acabado vamos tratar por colega?! Novamente pelo nome é impossível... grau académico então é horrível... sobra mesmo tratar por professor...

São estas pessoas que nos levam a começar as frases sem qualquer referência a nomes e a quem se destina... quem nunca teve de fazer um certo aparato para conseguir a atenção de alguém cuja forma de tratamento nos deixa constrangidos...

Olha... joga a conversa e reza para que no meio dela os respectivos destinatários entendam...

Mais valia tratar todos por “tio” e “tia”...

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:17
link do post | comentar | ver comentários (40) | favorito
Terça-feira, 16 de Novembro de 2004

For Me This Is Heaven

E porque a música não me sai da cabeça resolvi publicar....

The first star i see
may not be a star
we cant do a thing but wait
so lets wait
for one more

The time such clumsy time
in deciding if its time
I'm careful but not sure how it goes
you can lose, yourself in your courage
when, the time we have now ends
when, the big hand goes round again
can you still feel the butterflies?
can you still hear the last goodnight?

And the mindless comfort grows
when I'm alone with my great plans
this is what she says gets her through it:
"If I don't let myself be happy now then when?"
if not now when, the time we have now ends
when, the big hand goes round again
can you still feel the butterflies?
can you still hear the last goodnight?

I close my eyes and believe
wherever you are your an angel for me
when, the time we have now ends
when, the big hand goes round again
can you still feel the butterflies?
can you still hear the last goodnight?

Jimmy Eat the World

Ensaio do filósofo rafapaim às 20:36
link do post | comentar | ver comentários (22) | favorito
Segunda-feira, 15 de Novembro de 2004

O que o futuro nos reserva

Outro comportamento humano que me assusta é as pessoas a comer marisco...

Não só porque as sinto a ter um enorme prazer a martelar as pernas de uma qualquer sapateira... como também a cara de felicidade quando conseguem abrir uma amêijoa fechada!!!

Mas o que mais me preocupa é a forma como tratamos a lagosta... obrigamos o bicho a viver num aquário com mais não sei quantas outras lagostas e depois não basta apanhá-las, matá-las e comê-las... é preciso cozer o animal vivo até suar!!!

O que vocês acham que as outras que ficam pensam quando vêem a ex-amiga a passar na travessa?!?!

- “Olha ao menos não temos de pensar no futuro... seja como for, para nós só existe praia depois de morrer... olha só a cor daquela ali na bandeja de prata” – ehehe!

Assim como as lagostas vivem enganadas com o futuro... nós também não sabemos o que ele nos reserva!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:55
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Domingo, 14 de Novembro de 2004

Os "gringos"!

Hoje venho aqui falar sobre um tema que causa sempre muita polémica…

Essa mania europeia de achar que os americanos são todos burros e estúpidos… então usar como exemplo a reeleição do George W. Bush é algo que demonstra a nossa inferioridade.

Nós que já tivemos um António Guterres que não conseguiu fazer uma conta… um Valentim Loureiro que gritou por esse Guterres em vez de Gondomar… que moral temos para criticar?!

Depois estamos sempre a afirmar que eles não sabem nada do resto do mundo… e nós o que sabemos do deles?!?! Sobre o sentimento de um povo que sofreu o maior atentado de sempre da história em tempos de paz?!

Só vejo um motivo para achar que eles são estúpidos… a mania parva que tem de deixar a chave do carro sempre na pala do condutor!!! ehehe!

Ensaio do filósofo rafapaim às 20:16
link do post | comentar | ver comentários (24) | favorito
Sábado, 13 de Novembro de 2004

I'm sitting down here

Your words cut rather deeply
They're just some other lies
I'm hiding from a distance
I've got to pay the price
Defending all against it
I really don't know why
You're obsessed with all my secrets
You always make me cry
You seem to wanna hurt me
No matter what I do
I'm telling just a couple
But somehow it gets to you

But I've learned to get revenge
And I swear you'll experience that someday

I'm sitting down here but hey, you can't see me
Kinda invisible, you don't sense my stay
Not really hiding, not like a shadow
Just thought I would join you for one day

I'm not trying to avoid you
Just don't wanna hear your voice
When you call me up so often
I don't really have a choice
You're talking like you know me
And wanna be my friend
But that's really too late now
I won't try it once again
You may think that I'm a loser
That I don't really care
You may think that it's forgotten
But you should be aware

But I've learned to get revenge
And I swear you'll experience that someday

I'm sitting down here but hey, you can't see me
Kinda invisible, you don't sense my stay
Not really hiding, not like a shadow
Just thought I would join you for one day

Lene Marlin

Ensaio do filósofo rafapaim às 21:36
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sexta-feira, 12 de Novembro de 2004

Essa tal Liberdade

O que é que eu vou fazer com essa tal liberdade
Se estou na solidão pensando em você
Eu nunca imaginei sentir tanta saudade
Meu coração não sabe como te esquecer

Eu andei errado, eu pisei na bola
Troquei quem mais amava por uma ilusão
Mas a gente aprende, a vida é uma escola
Não é assim que acaba uma grande paixão

Quero te abraçar, quero te beijar
Te desejo noite e dia
Quero me prender todo em você
Você é tudo o que eu queria

O que é que eu vou fazer com esse fim de tarde
Prá onde quer que eu olhe lembro de você
Não sei se fico aqui ou mudo de cidade
Sinceramente amor, não sei o que fazer

Eu andei errado...

Só Para Contrariar

Ensaio do filósofo rafapaim às 02:48
link do post | comentar | ver comentários (32) | favorito
Quinta-feira, 11 de Novembro de 2004

Dona

Dona desses traiçoeiros
Sonhos, sempre verdadeiros
Dona desses animais
Dona de seus ideais
Pelas ruas onde andas
Onde mandas todos nós
Somos sempre mensageiros
Esperando tua voz
Teus desejos, uma ordem
Nada é nunca, nunca é não

Por que tens essa certeza
Dentro do teu coração
Tan, tan, tan, batem na porta
Não precisa ver quem é
P'ra sentir a impaciência
Do teu pulso de mulher
Um olhar me atira à cama
Um beijo me faz amar
Não levanto, não me escondo
Porque sei que és minha
Dona...
Dona desses traiçoeiros...
Não há pedras em teu caminho
Não há ondas no teu mar
Não há vento ou tempestade
Que te impeçam de voar
Entre a cobra e o passarinho
Entre a pomba e o gavião
Ou teu ódio ou teu carinho
Nos carregam pela mão
É a moça da cantiga
A mulher da criação
Umas vezes nossa amiga
Outras nossa perdição
O poder que nos levanta
A força que nos faz cair
Qual de nós ainda não sabe
Que isso tudo te faz
Dona, Dona...

Roupa Nova

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
Quarta-feira, 10 de Novembro de 2004

Café & Água

Mais um ensaio sobre os estranhos comportamentos humanos....

Agora é a vez de falar do café...

Não basta sermos um país onde pedir um café é uma arte.... cheio, curto, carioca, italiana, em chávena fria, em chávena escaldada.... e com cheirinho!!!! ( e mais uns quantos!!!)

 - O mesmo se passa com a água... fresca, natural, com gás, sem gás (natural também se usa, deve ser para confundir com o da temperatura!)... pequena, média, grande!!! -

É aqui que entra o facto curioso de quem bebe café... o copo de água...

Falam que é para tirar o gosto.... mas se não gostam do gosto porque bebem o café?!?! Parece uma pequena contradição e ainda por cima o copo é grátis (olha se tivesse de ser uma garrafa acho que bebiam o café e nem falavam nada!).

Talvez perca muito em não beber café... mas tem outras formas de ingerir cafeína... e nessas não preciso de copo de água!!! Além disso sou discriminado... porque depois de pedir uma coca-cola nunca me oferecem nada para que possa tirar o gosto... acabo sempre a pagar tudo!!!

“Não existem almoços grátis” ... parece que apenas copos de águas!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:55
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Terça-feira, 9 de Novembro de 2004

Imortalidade não queria...

Ao envelhecer ficamos com medo...

A partir de certa altura todos os compromissos passam a ser eternos... a escolha entre diferentes caminhos deixa de ser uma aventura, um desafio e passa a ser uma opção de vida!

“Nunca é tarde para mudar?!” – Não sei o que achar... o tempo que parecia imenso para realizar todos os sonhos acaba por ser curto!!! A certeza que vai sempre haver um amanhã faz com que todos se acomodem...

Algo parecido com a Imortalidade não queria... não suportaria ver todos que amo partir...

“Aproveite todos os dias como se fosse o último” – Parece boa desculpa para fazer um monte de asneiras, erros e disparates!!! Se não houvesse amanhã a maior parte das coisas perdiam o sentido... como ficava o “viveram felizes para sempre”?!?!

(um pequeno apontamento: já repararam que depois do viveram felizes para sempre o filme sempre acaba?! Afinal o para sempre dura o que?! Uns 5 segundos?! Olha... aturar a chata e metida da princesa por uns segundo até eu conseguia.... agora se o filme tivesse mais uma boa meia-hora o príncipe acabava pedindo para virar sapo de novo!)

Isto é complicado... muitas ilusões se tornam rapidamente em desilusões... vida sem sonhos rapidamente se torna vazia!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:03
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Segunda-feira, 8 de Novembro de 2004

O SAPO cansa... se cansa...

Mais uma vez o SAPO colocou-me à prova...

Três dias sem conseguir publicar um ensaio... um comentário...

Mesmo assim mantive a tradição de parar e escrever a filosofia barata do dia... ou então de publicar uma música que esteja no meu pensamento...

A primeira “Tide is High” – as recordações do tempo de Erasmus... era a música number one!

A segunda “Os meninos do Huambo” – porque por vezes é preciso tão pouco para ser feliz!

Hoje após algumas tentativas lá consegui actualizar o blog... mas fiquei sem saber o que escrever... este servidor cansa... se cansa...

Mas ainda estou para continuar... até amanhã!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Domingo, 7 de Novembro de 2004

Os meninos do Huambo

Com fios feitos de lágrimas passadas
Os meninos de Huambo fazem alegria
Constroem sonhos com os mais velhos de mãos dadas
E no céu descobrem estrelas de magia

Com os lábios de dizer nova poesia
Soletram as estrelas como letras
E vão juntando no céu como pedrinhas
Estrelas letras para fazer novas palavras

Os meninos à volta da fogueira
Vão aprender coisas de sonho e de verdade
Vão aprender como se ganha uma bandeira
Vão saber o que custou a liberdade

Com os sorrisos mais lindos do planalto
Fazem continhas engraçadas de somar
Somam beijos com flores e com suor
E subtraem manhã cedo por luar

Dividem a chuva miudinha pelo milho
Multiplicam o vento pelo mar
Soltam ao céu as estrelas já escritas
Constelações que brilham sempre sem parar

Os meninos à volta da fogueira
Vão aprender coisas de sonho e de verdade
Vão aprender como se ganha uma bandeira
Vão saber o que custou a liberdade

Palavras sempre novas, sempre novas
Palavras deste tempo sempre novo
Porque os meninos inventaram coisas novas
E até já dizem que as estrelas são do povo

Assim contentes à voltinha da fogueira
Juntam palavras deste tempo sempre novo
Porque os meninos inventaram coisas novas
E até já dizem que as estrelas são do povo

Paulo Carvalho
Letra e música: Rui Monteiro

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:50
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 6 de Novembro de 2004

As maravilhas do Aloé Vera

Se há planta que está na moda, essa planta é o Aloé Vera. Não existe nenhum produto que não possa benificiar com a adição deste milagroso cacto (sim, cacto!).

Existem champôs com Aloé Vera, detergentes, amaciadores, desodorizantes...é tão magnifico que agora vem em iogurte! Hmm iogurte de cacto!!
Já só falta mesmo vir em pastilhas elásticas!

Mas dêem-lhe tempo...

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:45
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 5 de Novembro de 2004

The tide is high

The tide is high
But I'm holding on
I'm gonna be your number one
I'm not the kind a girl
Who gives up just like that (Oh no).

It's not the thing you do
That tease and hurt me bad
But it's the way you do the things
You do to me
I'm not the kind a girl
Who gives up just like that
Oh no.

The tide is high
But I'm holding on
I'm gonna be your number one
The tide is high
But I'm holding on
I'm gonna be your number one
Number one
Number one.

Every girl wants
You to be her man
But I'll wait right here
'Till it's my turn
I'm not the kind a girl
Who gives up just like that
Oh no.

Everytime that I get the felling
You give me something to belive in
Everytime that I got you near me
I don't belive that I want it to be
But you know that I'm gonna take my chance now
I'm gonna make it happen somehow
And you know I can take the pressure
A moment's pain for a lifetime pleasure.

Atomic Kitten

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:43
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 4 de Novembro de 2004

Seria o fim do mundo...

" Com a eventual eleição de Jonh Kerry corria, em círculos socialistas, a quase-certeza de que António Guterres iria ocupar o cargo de secretário-geral da ONU. Com Durão Barroso a presidir à União Europeia, Guterres a liderar a ONU e D. José Policarpo com fortes hipóteses de chegar a Papa, estivemos à beira de dominar o mundo. "
Ensaio do filósofo rafapaim às 23:45
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Quarta-feira, 3 de Novembro de 2004

Links

Filosofia barata é isto mesmo... falar “Acerca de tudo, Acerca de nada”... podia optar por escrever “Pedaços de Mim”, mas  iam ser um monte de “Bloggagens” e existem sempre histórias “Dark!!!!!!!!!!!!!” que não podemos contar...

Não pretendo aqui dar respostas ou conselhos... “Nada faz sentido...” e por isso sigo escrevendo “Crónicas de um louco”, são nestas reflexões, pensamentos e sentimentos que fazem “De mim” um perfeito “Anômimo Incógnito”...

Por vezes “Fábulas”... histórias de um ser “Iluminado”... outras vezes “Horas Negras”... sem nunca esquecer que “Viver é mais que existir”... é “Longedamultidao” que encontro “O meu Mundo :-)”...

“E fez-se luz”... de repente o “Silêncio Falado” acaba em “Textos e narrativas”... podem ser “Teoriastupidas”, escritas por um perfeito “Analfabeto Sexual” talvez sem “A minha namorada” ou simplesmente “Fragilidade”...

Talvez tudo tenha uma razão... "Nada ao acaso”... ou então não passa de “Um Mundo de Sonhos” onde o “Erotismo na Cidade” me deixa assim, preciso que “Traga-me os sais”...

Não pretendo fazer aqui “Polittikus” apenas uma forma de “DesBlogueador de Conversa”... tal e qual folha “Desfolhada” do livro da vida!!!

Não sou revolucionário... nem um "Filho do 25 de Abril" acho que moderado, mas nem um pouco acomodado...

No fundo apenas e simplesmente “Filosofia Barata”!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (24) | favorito
Terça-feira, 2 de Novembro de 2004

If You're Not The One

If you’re not the one then why does my soul feel glad today?
If you’re not the one then why does my hand fit yours this way?
If you are not mine then why does your heart return my call
If you are not mine would I have the strength to stand at all

I'll never know whatthe future brings
But I know you're here with me now
We’ll make it through
And I hope you are the one I share my life with

I don’t want to run away but I can’t take it, I don’t understand
If I’m not made for you then why does my heart tell me that I am?
Is there any way that I can stay in your arms?

If I don’t need you then why am I crying on my bed?
If I don’t need you then why does your name resound in my head?
If you’re not for me then why does this distance maim my life?
If you’re not for me then why do I dream of you as my wife?

I don’t know why you’re so far away
But I know that this much is true
We’ll make it through
And I hope you are the one I share my life with
And I wish that you could be the one I die with
And I pray in you’re the one I build my home with
I hope I love you all my life

I don’t want to run away but I can’t take it, I don’t understand
If I’m not made for you then why does my heart tell me that I am
Is there any way that I can stay in your arms?

‘Cause I miss you, body and soul so strong that it takes my breath away
And I breathe you into my heart and pray for the strength to stand today
‘Cause I love you, whether it’s wrong or right
And though I can’t be with you tonight
You know my heart is by your side

I don’t want to run away but I can’t take it, I don’t understand
If I’m not made for you then why does my heart tell me that I am
Is there any way that I could stay in your arms

Daniel Bedingfield

Ensaio do filósofo rafapaim às 00:56
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
Segunda-feira, 1 de Novembro de 2004

Des-datados. Desarrumados

Gostei imenso deste texto... acho que vale a pena uma visita ao blog Erotismo na Cidade...

Não ponho datas nos poemas
Não quero fechá-los num dia
Num local especifico
Numa certa ocasião
Guardo-os, armazeno-os
Com a mesma lógica com que os escrevi:
Nenhuma.
Nenhum poema é passado
Porque presente
Nenhum poema é futuro
Porque os sinto já dentro
E se não são já presente
É por pura preguiça e falta de tempo
Escritos num hoje sem amanhãs.
Não saberia sequer datar os poemas
Escreverei do passado no futuro
Escreverei do futuro no presente.
Ficam portanto assim
Todos poemas sem tempo
E o ultimo que escrever será como o primeiro
Palavras sem data
Arrumadas sem lógica
Sempre futuro passado
Presente amanhã.

posted by encandescente at 10/31/2004

Ensaio do filósofo rafapaim às 16:42
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31