.Filosofias Recentes

. Outro reinício ...

. 5 sentidos...

. Calma! Está tudo perfeita...

. É desta vez...

. Desperdício

. Indiferenças

. Certezas!

. Perspectivas…

. A dor do amor

. Também é amizade

. A vida segue!

. Livro dos Loucos

. Basta o essencial

. Redes Sociais

. Eu no meu papel

. Indian Piggy

. Anonimamente ela...

. Voltou a acontecer

. Eu quero ser o teu proble...

. The Space Between

. o quatro do quatro a uma ...

. Sutilmente

. Deus está aqui

. Semelhanças...

. Onde você mora?

.Filosofias Passadas

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Abril 2013

. Outubro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

Domingo, 31 de Outubro de 2004

FELIZ

Um obrigado especial para as minhas conterrâneas chris e Flora, as comentadoras de serviço do ensaio de ontem!!! Valeu a brincadeira meninas... rafapaim saltitante de tão FELIZ!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito

Desde que despierto

Mira que mis ojos ven mejor si tú eres la luz
Y mi espera no es eterna si tú eres el final
Son tantas cosas las que yo quisiera que tú fueras
Desde el cielo hasta el infierno cada instante yo te tengo
Y mira que en mis llagas no hay dolor si tú eres la sal
Y mi herida no es profunda si tú eres el puñal
Son tantas cosas las que yo quisiera que tú fueras
Desde el cielo hasta el infierno cada instante que me das

Quiero hacerlo eterno
Para así tenerte todo el tiempo
En cada momento
Desde que despierto hasta que duermo

Juanes

Ensaio do filósofo rafapaim às 18:55
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Sábado, 30 de Outubro de 2004

Carteira de adulto!!!

Uma pessoa... (neste ensaio a filosofia é mais baseada nos homens)...  passa a adulto quando muda o estilo da carteira!!!

Sim... como em outras culturas em que o ritual é feito por celebrações e acontecimentos especiais, nós por aqui marcamos tal data com a compra de uma carteira... mas não pense que é só trocar por uma nova, nada disso, envolve toda uma mudança de comportamento.

Ora veja bem... até esse dia, os homens (miúdos) usam daquelas carteiras que se dobram ao meio, volumosas, apenas com compartimento para notas e alguns poucos cartões. Assim que o tempo vai passado ganhamos imensos cartões e uma coisa fundamental... cheques, e deixamos de conseguir colocar a carteira no bolso de trás dos jeans até porque deixamos de andar de jeans!!!

Naturalmente a compra da próxima carteira vai ter em conta todos estes detalhes... passa para uma carteira fina, lisa, comprida devido ao compartimento dos cheques e para imensos cartões... e que cabe perfeitamente no bolso interno de um blazer!!!

Qual sair de casa... casar.. ter filhos... trabalhar... ser independente para se afirmar como adulto!!! Imagine se alguém ia dar crédito a um tipo que no final de tudo, puxa de uma dessas carteiras (e se tiver velcro então!!!) para pagar uma despesa!

Automaticamente associamos uma carteira dessas com a mesada do pai... sim os pais quando nos oferecem essa tal carteira é um sinal que vai acabar a vida boa, é uma espécie de código que marca a auto-sustentação... porque ninguém no seu prefeito juízo compra uma carteira dessas!!! ehehe!!!

PS: Lembrar de mudar a minha lista de presentes de natal...  posso até ganhar essa carteira mas vou continuar acreditando no Pai Natal!!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 12:29
link do post | comentar | ver comentários (110) | favorito
Sexta-feira, 29 de Outubro de 2004

Elderly Woman (...)

I seem to recognize your face
Haunting, familiar, yet I can't seem to place it
Cannot find the candle of thought to light your name
Lifetimes are catching up with me
All these changes taking place, I wish I'd seen the place
But no one's ever taken me
Hearts and thoughts they fade, fade away...

I swear I recognize your breath
Memories like fingerprints are slowly raising
Me, you wouldn't recall, for I'm not my former
It's hard when, your stuck upon the shelf
I changed by not changing at all, small town predicts my fate
Perhaps that's what no one wants to see
I just want to scream...hello...
My god its been so long, never dreamed you'd return
But now here you are, and here I am
Hearts and thoughts they fade...away...

Pearl Jam

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:49
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quinta-feira, 28 de Outubro de 2004

Horas Negras - Cem anos depois...

Este texto encontra em Horas Negras!!! Pela sua piada resolvi, e com a autorização da autora do mesmo (que desde já agradeço a gentileza) publicar!!!

Antes de ler talvez seja melhor começar por aqui... O julgamento...

- Está iniciada a audiência. Ora bem, estive nestes cem anos a reler todo o processo da arguida, de modo a poder tomar uma decisão. Mas é claro que tudo vai depender do comportamento da arguida durante o tempo que esteve no Purgatório. Senhor Anjo da Guarda, que tem para nos dizer? E veja se é mais convincente desta vez...

- Senhor, Deus, Clementíssimo e Todo-Poderoso...

- Sim, eu sei que sou tudo isso. Já te avisei que esses métodos não resultam. Tu não me faças perder a minha infinita paciência.

- Altíssimo, observei cuidadosamente a minha cliente durante estes cem anos, e ela demonstrou um comportamento exemplar. Participou nos grupos de Oração, ofereceu-se para cumprir penitências de outros arguidos, e até participou nos trabalhos de limpeza e manutenção do Purgatório.

- Hummm... Estou impressionado, sim Senhor... Parece que um bocadinho de calor tem sempre uma função pedagógica. E o que tem o Diabo de Acusação a dizer a este Tribunal? E não preciso de relembrar que é necessário contenção...

- Mas com mil diabos, ainda nem abri a boca e já me cai tudo em cima?

- Não te enerves, e manda lá os teus mil diabos embora. A rapariga é só uma, não precisa de uma escolta tão grande. Conta lá de tua justiça.

- Bem, a minha visão dos factos é ligeiramente diferente. Após aturada investigação, presente nestes 253 dossiers, que já sei que não vou ler... conclui-se que a arguida fingiu estar doente 438 vezes para fugir às orações da manhã. Subornou os guardas do Purgatório, oferecendo favores sexuais em troca de fatias de salame e outras regalias alimentares. Não preciso relembrar que só nesta acção temos dois pecados capitais, a Luxuria e a Gula, pois não?

- Não, não precisas. Fui eu que os cataloguei e classifiquei, lembras-te?

- Perdão, perdão. Continuando, até mesmo a participação nos trabalhos de limpeza e manutençaõ foi apenas com o intuito de se conseguir infiltrar no sistema de segurança e baixar 20 graus à temperatura da sua cela.

Aconselho então este tribunal a considerar esta moça uma alma perdida, e a mandá-la para os quintos dos infernos, que por acaso é onde eu tenho uma mansão muito jeitosa, e aproveito para aprender aquela do...

Calma, calma, que quem decide sou Eu. Não estão sempre a dizer que eu sou omnipotente e coiso e tal? Bom, mas este caso precisa de uma análise mais cuidada. A arguida segue comigo para o meu castelo nas nuvens, por tempo indeterminado, até à decisão final. Está encerrada a audiência.

- ... olha, olha... e não é que Ele lhe passou a mão pelo pêlo? Eu bem me parecia que ela esteve o tempo todo a fazer-Lhe olhinhos. Sempre pensei que a Luxúria ia ser a perdição dela... afinal parece que foi a salvação.

- Anda lá, não penses mais nisso. Vamos mas é beber uma cerveja geladinha que eu estou com uma sede infernal. Ainda havemos de aprender aquela do...

FIM

Ensaio do filósofo rafapaim às 21:29
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
Quarta-feira, 27 de Outubro de 2004

Eu cá diria

Claro que as mulheres tem poderes que excedem em muito os dos comuns mortais.

No outro dia uma mulher deixou uma mensagem no meu atendedor de chamadas, numa voz sussurrada e por entre alguns suspiros. E não interessa o que a mulher diz... se a voz é sussurrada, torna-se logo atraente. Imaginem uma hospedeira de bordo debruçar-se para nos dizer ao ouvido:

- Importa-se de colocar o cinto? Estamos prestes a despenhar-nos contra uma montanha!

Eu cá diria:

- A sério?! Então, o que é que faz logo à noite junto à fuselagem destruída?

As mulheres precisam de gostar do emprego do tipo com quem saem. Se não gostarem do emprego, também não gostam do tipo. Os homens sabem-no, e é por isso que inventamos aqueles nomes falsos e sonantes para os empregos que temos.

Os homens, por seu lado, se se sentem fisicamente atraídos por uma mulher, não querem saber do emprego dela. Dizemos apenas:

- A sério?! No matadouro!!!??? É aí que trabalhas?! Deve ser interessante. Tens um cutelo grande e cortas-lhes as cabeças, é isso? Deve ser bestial!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:29
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
Terça-feira, 26 de Outubro de 2004

Ele vai voltar...

Vivemos tempos complicados... em constante evolução...

É preciso estar a atento às mudanças e invenções... quase tudo é possível, conseguimos modificar, alterar e criar uma variedade de coisas!!!

No outro dia li que a “Chiquita” uma das empresas líder no ramo da indústria da banana fez um estudo que os consumidores estavam cansados de comprar uma banana e esta ter sempre o mesmo sabor...

Não é que querem fazer uma banana com sabor a morango?!?! Assim seria a surpresa de comprar uma banana e levar com gosto de morango!!! Mas se quero gosto de morango o lógico não seria comprar morangos... talvez seja o único a pensar assim?!

Banana é para saber a banana... não quero cá banangos (será que se ia chamar assim?)

Pior mesmo só deixarem de fabricar o Mon Chéri durante o verão (por mim até podiam deixar de fabricar durante o ano inteiro) com a desculpa de não ter o sabor autêntico?!?!

Capazes de clonar seres vivos... cultivar qualquer coisa nos mais agrestes terrenos... será que não conseguiam fabricar o chocolate e o raio das cerejas com um sabor genuíno?!?!

Temos armas nucleares... vamos à lua... e não se faz um chocolate durante o verão porque o calor ia danificar o seu sabor?!?! É assim tão complicado fazer uma estufa ou uma arca frigorífica para conservar o sabor???

Como então fazem os outros?! Ou no verão não se produzem chocolates... olha o Bounty que leva coco e chocolate lá por estar calor não fica estragado (e eu sei disso bem!!!)!

É um assunto que seguramente merecia mais discussão mas filosofias longas cansam...

Ensaio do filósofo rafapaim às 01:20
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Segunda-feira, 25 de Outubro de 2004

Trouble

O no, I see,
A spider web is tangled up with me,
And I lost my head,
The thought of all the stupid things I've said,
O no, what's this?
A spider web, and I'm caught in the middle,
So I turned to run,
The thought of all the stupid things I've done,

I never meant to cause you trouble
And I never meant to do you wrong,
And I, well if I ever caused you trouble
O no, I never meant to do you harm

O no, I see
A spider web and it's me in the middle,
So I twist and turn
Here am I in my little bubble.

Singing out, I never meant to cause you trouble,
I never meant to do you wrong,
Ahhh, well if I ever caused you trouble
O no I never meant to do you harm

They spun a web for me

Coldplay

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:58
link do post | comentar | favorito
Domingo, 24 de Outubro de 2004

Astronauta

Astronauta tá sentindo falta da Terra?
Que falta que essa Terra te faz?
A gente aqui embaixo continua em guerra
Olhando aí pra lua implorando por paz
Então me diz: por que que você quer voltar?
Você não tá feliz onde você está?
Observando tudo a distância
Vendo como a Terra é pequenininha
Como é grande a nossa ignorância
E como a nossa vida é mesquinha
A gente aqui no bagaço, morrendo de cansaço
De tanto lutar por algum espaço
E você, com todo esse espaço na mão
Querendo voltar aqui pro chão?!
Ah não, meu irmão... qual é a tua?
Que bicho te mordeu aí na lua?

Eu vou pro mundo da lua
Que é feito um motel
Aonde os deuses e deusas
Se abraçam e beijam no céu

Fica por aí que é o melhor que cê faz
A vida por aqui tá difícil demais
Aqui no mundo, o negócio tá feio
Tá todo mundo feito cego em tiroteio
Olhando pro alto, procurando a salvação
Ou pelo menos uma orientação
Você já tá perto de Deus, astronauta
Então, me promete
Que pergunta pra ele as respostas
De todas as perguntas e me manda pela internet

Eu vou pro mundo da lua
Que é feito um motel
Aonde os deuses e deusas
Se abraçam e beijam no céu

É tanto progresso que eu pareço criança
Essa vida de internauta me cansa
Astronauta, cê volta e me deixa dar uma volta na nave,
Passa a chave que eu tô de mudança
Seja bem-vindo, faça o favor
E toma conta do meu computador
Porque eu tô de mala pronta, tô de partida
E a passagem é só de ida
Tô preparado pra decolagem, vou seguir viagem, vou me desconectar
Porque eu já tô de saco cheio e não quero receber nenhum e-mail com notícia dessa merda de lugar

Eu vou pro mundo da lua
Que é feito um motel
Aonde os deuses e deusas
Se abraçam e beijam no céu

Eu vou pra longe, onde não exista gravidade
Pra me livrar do peso da responsabilidade
De viver nesse planeta doente
E ter que achar a cura da cabeça e do coração da gente
Chega de loucura, chega de tortura
Talvez aí no espaço eu ache alguma criatura inteligente
Aqui tem muita gente, mas eu só encontro solidão
Ódio, mentira, ambição
Estrela por aí é o que não falta, astronauta
A Terra é um planeta em extinção

Gabriel O Pensador & Lulu Santos

Ensaio do filósofo rafapaim às 18:20
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sábado, 23 de Outubro de 2004

Estou assim

Hoje estou assim… sem palavras…

…

são tantos os pensamentos que não consigo prestar atenção em nenhum…

…

queria conseguir dizer um monte de coisas mas não acho o início…

…

será o fim…

…

sei que sabem que eu sei qualquer coisa…

…

talvez não precise de dizer nada…

…

e a vida continua!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 18:23
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
Sexta-feira, 22 de Outubro de 2004

Beautiful

Spoken
Don't look at me  
Every day is so wonderful
And suddenly, it's hard to breathe
Now and then, I get insecure
From all the fame, I'm so ashamed 

I am beautiful no matter what they say
Words can't bring me down
I am beautiful in every single way
Yes, words can't bring me down
So don't you bring me down today 

To all your friends, you're delirious
So consumed in all your doom
Trying hard to fill the emptiness
The piece is gone and the puzzle undone
That's the way it is 

You are beautiful no matter what they say
Words won't bring you down
You are beautiful in every single way
Yes, words won't bring you down
Don't you bring me down today... 

No matter what we do
(no matter what we do)
No matter what they say
(no matter what they say)
When the sun is shining through
Then the clouds won't stay 
And everywhere we go
(everywhere we go)
The sun won't always shine
(sun won't always shine)
But tomorrow will find a way
All the other times 

We are beautiful no matter what they say
Yes, words won't bring us down
We are beautiful no matter what they say
Yes, words can't bring us down
Don't you bring me down today 

Don't you bring me down today
Don't you bring me down today

Christina Aguilera

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:57
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quinta-feira, 21 de Outubro de 2004

Un dia normal...

Hoy es un día normal pero yo voy a hacerlo intenso
Hoy puede apagarse el sol pero no la luz de mi alma

En un día como hoy caminaré más despacio
En un día como hoy defenderé mi verdad
En un día como hoy te amarraré con mis brazos
En un día como hoy
Porque nunca sabes lo que tienes hasta que lo pierdes
Y lamentablemente nunca vuelve

No importa en donde estes
yo desde aquí te besaré en mis sueños
Mi sangre arderá por ti
hasta que se pierda por tu cuerpo

En un día como hoy caminaré más despacio
En un día como hoy defenderé mi verdad
En un día como hoy te amarraré con mis brazos
En un día como hoy
Porque nunca sabes lo que tienes hasta que lo pierdes
Y lamentablemente nunca vuelve

Juanes

Cabe a cada um de nós fazer que seja inesquecível!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:01
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 20 de Outubro de 2004

Bela Adormecida

Quem não gosta de dormir?!?!

Seja durante a noite... ou uma sesta depois do almoço... ou ainda um cochilo antes do jantar?!?!

A filosofia barata de hoje segue a seguinte linha de pensamento... melhor que dormir é a hora que se deita e ainda não adormeceu!!!

Isso mesmo... aquele período que sente o corpo a relaxar... os olhos a pesar... e o sono a vir...

Nessa altura você consegue ter pensamentos como:

- ainda faltam horas para acordar
- só tenho de me preocupar com isso amanhã
- acabou... ZzzzzzZZzzzzzz

Ter a noção de que podemos descansar e não ser incomodados (salvo excepções!) durante algum tempo é bom, claro que se este tempo do deitar ao adormecer for muito longo é melhor pensar que não esta só a aproveitar o momento... acredite antes em insónia!

O dormir afinal é mau... depois de cair no sono... apenas vai lembrar do som do despertador a tocar, o mais curioso é que ainda faz minutos atrás você estava a programar para ele tocar!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 19 de Outubro de 2004

Reflexões

Pergunta

O meu irmão perguntou-me o que nos acontece quando morremos e eu respondi que somos enterrados debaixo da terra e comidos por vermes. Poderia ter dito a verdade, que a maioria de nós vai para o inferno arder eternamente, mas não queria traumatizar o pequenino.

Teste de Francês

Passei um mês a estudar quase sem dormir, a fazer cábulas aos montes e a treinar a fala e escrita de francês. Fiz o teste e tive zero. As dificuldades começaram logo no cabeçalho, onde se lia em letras bem grandes "Matemática".

Azar

Ia a atravessar a linha, quando a pessoa à minha frente foi colhida por um comboio. Isso deixa-me frustrado. Nunca sou a primeira escolha para nada!

Leia mais no Iluminado

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:56
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 18 de Outubro de 2004

Politicamente Correcto

A: Um carneirinho branco saltou a cerca... dois carneirinhos brancos saltaram a cerca... três carneirinhos brancos...
B: Olha lá, mas porque é que os carneirinhos têm de ser brancos? Acho uma grande descriminação racial para com os outros...

A: Tens razão... um carneirinho azul saltou a cerca.. dois carneirinhos azuis saltaram...
B: Mas saltaram para onde? É que se o terreno fora da cerca era de alguém, isso é invasão de propriedade.

A: Pois... três carneirinhos azuis saltaram a cerca para um terreno baldio... quatro carneirinhos azuis saltaram a cerca para um terreno...
B: Eu não concordo nada com a existência desses terrenos baldios, sabes? Com tanto agricultor em dificuldades, acho que deveriam ser aproveitados para eles plantarem qualquer coisita, não te parece?

A: Pois sim... cinco carneirinhos azuis saltaram a cerca para uma pequena plantação de batata... seis carneirinhos azuis saltaram a cerca para uma pequena...
B: Esse agricultor de que falas, o da plantação de batatas, ele não usa químicos, pois não? Preocupo-me tanto com isso... Estive a pensar e acho que da próxima vez que passarmos no supermercado deviamos apostar na agricultura biológica. Eu sei que é um bocadinho mais cara, mas sabe-se lá o que é que metem nos legumes hoje em dia... A saúde em primeiro, não achas?

A: Acho, acho... sete carneirinhos azuis saltaram a cerca para uma pequena plantação biológica de batatas... oito carneirinhos azuis saltaram...
B: Tu realmente gostas de azul, não é? Bem, basta olhar para as tuas gavetas... As cuecas, todas iguais, e as gravatas, tirando a de luto, enfim... acho mesmo que devias ter trazido aquela amarelo-canário que tinhamos visto há dias na Zara... Animava-te tanto o rosto e sabes que a moda para esta primavera...

A: ARRE LUISA, DEIXA-ME DORMIR!! Amanhã tenho uma reunião de accionistas e tu a debater carneiros azuis, agricultura biológica e a cor das minhas gravatas. Não te parece que 4:10h da manhã não é a melhor hora para isso? E já agora, porque é que os canários têm de ser amarelos? Acho uma enorme descriminação racial para com os outros...

Agradeço a publicação deste texto a sexafavor... autora dos blog...

Traga-me os sais... (versão SAPO)

Traga-me os sais... (versão Blogspot)

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:59
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 17 de Outubro de 2004

Namoradinha de Um Amigo Meu

Estou amando loucamente
a namoradinha de um amigo meu
sei que estou errado
mas nem mesmo sei como isso aconteceu
um dia sem querer olhei em seu olhar
e disfarcei até pra' ninguém notar

Não sei mais o que faço
pra' ninguém saber que estou gamado assim
se os dois souberem
nem mesmo sei o que eles vão pensar de mim
eu sei que vou sofrer mas tenho que esquecer
o que é dos outros não se dever ter

Vou procurar alguém que não tenha ninguém
pois comigo aconteceu gostar da namorada de um amigo meu

Roberto Carlos

E porque o tema é complicado e a letra já tem filosofia mais vale não colocar a minha opinião! Ainda ficava outra impressão qualquer no ar... mas realmente a filosofia barata deste tema é algo de muito pessoal... assim faça a sua e siga o seu coração... mas não esqueça de ser racional!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:39
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Sábado, 16 de Outubro de 2004

No meu bairro já está tudo normal

Voltou a calma ao meu bairro. Depois de quinze dias em que pensámos que estávamos todos ricos, eis que o ministro das Finanças nos tira com uma declaração aquilo que nos tinha dado com uma afirmação. Explico-me.

Lembram-se certamente de o ministro das Finanças ter ido à RTP, há quinze dias, dizer à Judite de Sousa que ia acabar com os benefícios fiscais dos PPR, PPR-E, PPA e Contas Poupança-Habitação, já que, segundo afirmou, quem investia em tais produtos eram os contribuintes 30% mais ricos de Portugal (ele só falou dos que pagam impostos; os outros ricos, ao que deduzimos, ou não pagam impostos ou não investem nestes produtos). E eram assim esses ricos que, capciosamente, se aproveitavam de tais benefícios para pagar menos impostos, ao contrário dos outros contribuintes pobres que, por não investirem em tais produtos, nada podiam deduzir à colecta. O ministro anunciou então o que faria Robin dos Bosques: tirar aos ricos para descer o IRS dos mais pobres. O país estremeceu de reconhecimento emocionado: finalmente, a justiça social pela mão de Bagão!

Pois bem: eu sabia que lá no meu bairro o sr. Joaquim da mercearia tinha feito um PPR para a mãe que está velhota. O sr. João da padaria investiu num PPR-E para quando o miúdo, que ia bem nos estudos, quisesse tirar um MBA. A sra. Ana da farmácia andava a juntar uns trocos numa Conta Poupança-Habitação para comprar uma casita. E o sr. José de uma agência imobiliária apostou num Plano Poupança Acções, depois de ter ouvido o dr. Catroga dizer em 1995 que isso ia ser muito bom para quem aí investisse, além do que servia para animar o mercado de capitais.

Ora assim que ouviram o ministro dizer que estavam entre os 30% dos mais ricos de Portugal (os que pagam impostos, insisto), os meus vizinhos entraram numa euforia, porque não é qualquer um que trata os Belmiro, os Jardins Gonçalves, os Américos Amorins e outros ricos deste país tu cá, tu lá como nós lá no bairro. E assim o Joaquim deixou de trabalhar, pensando na herança que ia receber, o filho do João deixou de estudar porque o pai tinha ficado rico, a Ana não pôs mais os pés na farmácia e o José está à espera que lhe cheguem a casa as grandes mais-valias que fez através do Plano Poupança Acções.

Estava assim o meu bairro em grande festança quando vários jornais resolvem colocar cá fora a declaração de rendimentos do ministro das Finanças. Ora ele é homem sério, competente, trabalhador, bom chefe de família, até porque é um furioso entusiasta do Benfica, mas não tem cara de ser rico. Tem, aliás, o mesmo carro desde 1994 e não é grande coisa a viatura. Ora se ele não é um rico, nós devemos ter muito mais dinheiro que ele.

Mas vai-se a ver a declaração de rendimentos do nosso ministro e a nossa surpresa foi total, seguindo-se uma profunda tristeza. Para já, se não é rico, como é que ele investe nestes produtos? Só os 30% dos ricos é que o fazem. Depois deste facto perturbador, outro se seguiu. O ministro não só investe, como investe bastante. A saber: tem uma carteira de aplicações de 655 mil euros, dos quais quase 74 mil em PPR, quase 24 mil em PPA e depois ainda uma modesta aplicação de 7.200 euros numa conta poupança habitação, num total que se aproxima dos 105 mil euros. Aliás, o ministro não fez outra coisa se não aumentar as suas aplicações nestes produtos nos últimos três anos, que passaram de 81 mil euros em 2002 para 91 mil em 2003 e 104 mil em 2004.

Bom, eu queria que vissem a cara do Joaquim, do João, da Ana e do José quando ouviram isto. É que aquilo que o ministro tem em aplicações financeiras é bem mais do que qualquer um deles ganha por ano, na casa das cinco vezes mais.

E pronto, durante quinze dias fomos ricos, mas já deixámos de ser. Mas como em todas as coisas, há que tirar os pequenos lucros das grandes perdas. O Joaquim abriu de novo a mercearia, o filho do João voltou a estudar, a Ana regressou à farmácia e o José está de novo a mostrar casas na imobiliária onde trabalha. O bairro voltou à normalidade e estamos todos muito mais contentes. É claro que deixámos de nos dar com o Belmiro, o Jardim Gonçalves e o Américo Amorim. Mas também é verdade que eles não passavam lá muito pelo meu bairro. E quem é que se quer dar com pessoas que não investem em PPR?

Nicolau Santos in Expresso

Ensaio do filósofo rafapaim às 20:31
link do post | comentar | favorito

No meu bairro está tudo rico!

Desde quinta-feira vai uma enorme euforia no meu bairro. Foi logo a seguir ao ministro das Finanças ter dito a Judite de Sousa, na RTP-1, que são os 30% mais ricos deste país que investem em PPR, PPR-E, PPA e CPH. É que, a ser assim, 90% desses 30% vivem no meu bairro. E o certo é que o foguetório não tem parado, já se organizaram várias festas de ricos e já houve muita gente do meu bairro que não trabalhou sexta e sábado (os ricos, como se sabe, têm a mania de não trabalhar aos sábados).

O sr. Joaquim da mercearia convenceu a mãe, há dez anos, a fazer um PPR, tendo em conta que a Segurança Social pública não anda lá muito católica e seria bom prevenir o futuro da senhora. Desde quinta, o sr. Joaquim fechou a mercearia e só espera pela herança que a mãe, que não anda bem de saúde, lhe vai deixar. E ele que não sabia que era filho de uma das pessoas mais ricas de Portugal!

O sr. João da padaria convenceu-se, há três anos, que era bom fazer um PPR-E, porque o filho ia bem no liceu e depois quereria certamente não só concluir um curso universitário, como também tirar talvez um MBA. Nessa altura, o PPR-E daria jeito. Agora está com um problema em casa. O miúdo ouviu o Bagão Félix, dizer que o pai está entre os 30% mais ricos de Portugal e agora já não quer estudar. Diz que não precisa. Chatices de ricos...

A sra. Ana, ajudante na farmácia, resolveu começar a colocar uns trocos numa Conta Poupança Habitação, visando a compra de uma casinha quando chegar aos 30, ela que têm agora 24. Desde quinta que não aparece no emprego e mandou dizer que não consta que os ricos trabalhem. Acha estranho que a conta bancária continue próxima do zero no final do mês. Mas se o dr. Bagão disse que ela é rica, é porque é verdade.

Quanto ao José, empregado de uma agência imobiliária, que passa o dia a mostrar casas a clientes, resolveu há uns anitos arriscar uns dinheiros num Plano Poupança Acções. Ouviu o dr. Catroga dizer que era uma forma de reanimar o mercado de capitais, que daria uma boa rentabilidade os investidores. Agora que soube que está rico, já escreveu ao dr. Catroga a agradecer a indicação.

E assim a festança não pára no meu bairro. Mas ando preocupado. Soube que o eng. Belmiro se estava a preparar para fazer um PPR e poupar no seu IRS e agora já não o vai poder fazer. O eng. Jardim Gonçalves, que tem muitos filhos e netos, ia apostar nos PPR-E. Também já não vai a tempo. O dr. Artur Santos Silva, que é muito forreta, estava a pensar fazer um CPH no banco de que é presidente - só para poupar 127 euros no IRS! Não pode, porque o dr. Bagão lhe topou os intentos. E finalmente o eng. Mira Amaral ia colocar a sua choruda reforma em PPA. Vai ter de gastá-la noutro sítio.

E eis como finalmente temos um ministro que acaba com os ricos para dar aos pobres. Bem haja, dr. Bagão! E assim já não precisa de investir no combate à fraude e à evasão fiscal, nem investigar a sério o rendimento das profissões liberais, nem combater 50% das empresas que declaram prejuízos, nem estabelecer uma colecta mínima para restaurantes, mercearias e outros pequenos negócios para os quais, como é óbvio, não há qualquer possibilidade de controlo fiscal. Carregue nesses 30% de ricos que investem em PPR, PPR-E, PPA, CPH - e vai ver como resolve o défice e a justiça fiscal desce sobre este país! Força! Que não lhe doam as mãos!

Nicolau Santos in Expresso

Ensaio do filósofo rafapaim às 20:30
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 15 de Outubro de 2004

Alegre ou Feliz

Um ensaio que é mais uma teoria... uma das muitas que vou tentando desenvolver... e que por vezes acabam em filosofia barata!!!

Afinal andar alegre é diferente de estar feliz?!

Pois... parece igual mas não é!!! Nem tudo que parece, é (um ditado popular fica sempre bem... afinal é a expressão máxima da filosofia barata!)

Andar alegre muita gente anda... por vezes alegres até sem saber... um tipo que é louco é alegre, mas nem sempre é feliz (até porque uma felicidade contínua é difícil de conseguir)!

Ser feliz é um conjunto de momentos que nos deixam bem... é mais fácil ser alegre... até ser bobo é mais fácil!!! Muito alegre e parece palerma, por isso tem de ter cuidado!!! ehehe!

Para ser alegre não depende de nada nem de ninguém... mas já a felicidade exige sempre uma intervenção de algo!!! Você fica alegre de acordar para mais um dia... pode sorrir sem motivo... mas feliz fica quando algo acontece!!!

É aqui nesta altura que falei num outro ensaio que o dinheiro não compra a felicidade... porque é fugaz, mas permite por vezes concentrarmo-nos em ser felizes e andar alegres!!!

Outra distinção é essa mesmo... podemos ter momentos de felicidade no meio de uma grande tristeza mas raramente ficamos alegres com algo de ruim a acontecer!!!

Eu sei que podem até discordar... e a vossa filosofia barata é tão boa como a minha...

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:51
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quinta-feira, 14 de Outubro de 2004

Fuego Lento

A fuego lento tu mirada
a fuego lento tu, nada
vamos tramando esta locura
con la fuerza de los vientos y el calor de la ternura
sigue el camino del cortejo
a fuego lento, a fuego viejo
sigo avivando nuestra llama
con todo lo que te quiero y lo mucho que me amas

A fuego lento me haces agua
contigo tengo el alma enamorada
me llenas, me vacias, me desarmas
ay amor cuando me amas
a fuego lento revoltosas
caricias que parecen mariposas
se cuelan por debajo de la ropa
metamos sentimiento
amor forjado a fuego lento

A fuego lento mi cintura
a fuego lento y comisura
vamos tramando este alboroto
con la danza de los mares y el sabor del poco a poco
sigo el camino del cortejo
a fuego lento a fuego añejo
sigo avivando nuestra llama
tantos dias como sueños
tantos sueños que marcabas

Rosana

A primeira música de tantas músicas...

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:58
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Quarta-feira, 13 de Outubro de 2004

Por te conhecer

Não precisa dizer nada que você não queira dizer
Não precisa sentir nada que você não queira sentir
Só me olhe assim para que eu possa encontrar
Tudo que me falta em você

Eu não quero falar nada que eu tenha que explicar
Eu não quero sentir nada que eu tenha que definir
Só quero te olhar para que eu possa entender
A falta em mim que vem de você

Só quero te olhar para que eu possa entender
A falta em mim que vem de você

Olhe para o lado estou ali
Bem pertinho de você
Hoje eu falo sem me sufocar
Obrigado por te conhecer

Catedral

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:58
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 12 de Outubro de 2004

Nunca é tarde!!!

Sei que as coisas tem um momento certo para acontecer ... tudo que acontece na vida tem um momento e um destino ... mas nunca é tarde!!!

Pode sempre tentar voltar atrás... mesmo que não resulte... que não produza nenhum efeito... que tenha de ir contra vontades de outros... mas se achar que é a coisa certa e que vai sentir-se melhor nunca é tarde!!!

Nem sempre emendar é possível... mas a consciência tranquila de quem tentou e não ficou agarrado a orgulhos bobos é preferível a não admitir e seguir fingindo que nada aconteceu!!! Por vezes o resultado não é o mais importante... e não é vergonha repetir e tentar. Para reiniciar e acabar obras incompletas nunca é tarde!!!

Não siga insistindo em algo que sabe estar condenado... adiar sofrimentos e viver agarrado a uma suposta normalidade e harmonia para não criar ondas e quebrar uma certa rotina é igualmente desastroso... lute...  para sair procurando o pedaço que falta nunca é tarde!!!

Parabéns Mui Ilustre Mãe... por saberes que nunca é tarde!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Segunda-feira, 11 de Outubro de 2004

Para ler... e reler...

E eu quero brincar ao bate-pé contigo... e deixar que massajes o meu pescoço... e as costas... e que me segures na mão... e sentir-me menina quando me dás a mão... e ir comer fora... e não me importar se é caro ou barato... e preocupar-me depois... e falar sobre o dia... e sobre o chefe... e sobre os hipócritas do meu emprego... e deixar que carregues as compras... e rir das tuas palhaçadas ao volante... e ver filmes bons... e maus... e assim assim... e mudar a estação de rádio por estar a dar futebol... e deixar que me tires fotografias na praia em cuecas... e a sentir-me nua... e querer que rias das minhas piadas sem graça... e querer-te à noite mas precisar de dormir um bocado... e deixar que me abraces... e me beijes... e virar-te as costas porque estou cansada mas continuar a querer que me abraces... e me beijes... e dizer para tirares a fita do cabelo que é tão bonito sem a fita... e passar os meus dedos pelos teus caracóis... e ouvir-te dizer o quanto gostas do meu cabelo dos meus lábios do meu pescoço de mim... e sentar-me com vontade de fumar enquanto tratas dos teus bonsais... e preocupar-me que percebas que eu tenho vontade de fumar enquanto tu tratas dos teus bonsais... e dar-te beliscões... e ir aquela festa... e ver-te dançar à minha frente de olhos esbugalhados... e ficar envergonhada no meio daquela gente toda porque todo tu és à vontade... e dizer que não fiques assim que todos vão ver mas a querer que fiques assim porque eu também estou assim... e pedir desculpa quando estou errada... e custar-me pedir desculpa quando estou errada... e adorar quando me desculpas... e desejar ter-te conhecido desde sempre... e ouvir-te sussurrar no meu ouvido o quanto gostas de mim... e a sentir o mesmo mas a não conseguir dizê-lo como tu dizes... e a ficar irritada por não conseguir dizer como tu dizes... e ficar assustada quando perdes a calma... e a tua voz se altera... e desejar que nunca te zangues comigo... e dizer-te que te adoro com os meus olhos... e desejar que percebas o que estou a dizer-te com os meus olhos... e que me abraces quando estou stressada... e deixar-te doido quando te toco... e saber o quanto o teu sorriso é lindo... e ter medo que as outras achem que tens um sorriso lindo... e querer que seja um segredo só meu... e não compreender por que é que pensaste que eu podia não gostar de ti quando eu gosto de ti... e pensar como é que tu podias achar que eu podia não gostar de ti estando contigo... e pensar que sabes como eu sou mas aceitas-me na mesma... e escrever-te poemas de amor... e colocar na net para todos verem... e hesitar em pô-los na net para todos verem... e ter um sentimento tão profundo que é difícil escrever sobre isso... e é tão fácil escrever sobre isso... e quase ter ciúmes do cão porque eu quero toda a tua atenção só para mim... e gostar quando me compravas prendas que eu queria quando eu ainda não sabia se queria estar contigo... e deixar que me peças em casamento... e eu a imaginar-me a dizer que sim... e tu a perguntares se é mesmo sim... e eu a pensar como é que tu podes pensar que eu não diria que sim... e eu a querer que tu estejas a falar a sério... e tu mesmo a falar a sério... e querer aquilo que queres... e saber que estou segura contigo... e saber que sabes o pior que há em mim... e tentar dar-te o meu melhor porque mereces tudo... e é maravilhoso estar contigo... e é maravilhosa esta harmonia... e não tenho sequer que fazer um nem dois nem três esforços... e falar línguas que não sei contigo... e fazer amor contigo às tantas da manhã... e tentar tentar tentar tentar transmitir ao menos um bocadinho do coerente, nobre, absoluto, contínuo, incondicional e infindável amor que sinto por ti.

Este texto é uma versão da Betty ao texto de Sarah Kane - Falta (Crave)

Textos e Narrativas

Desfolhada

 

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:31
link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
Domingo, 10 de Outubro de 2004

Do Seu Lado

Faz muito tempo, mas eu me lembro... você implicava comigo
Mas hoje eu vejo que tanto tempo me deixou muito mais calmo
O meu comportamento egoísta, o seu temperamento difícil
Você me achava meio esquisito e eu te achava tão chata

Mas tudo que acontece na vida tem um momento e um destino
Viver é uma arte, é um ofício
Só que precisa cuidado
Prá perceber que olhar só prá dentro é o maior desperdício
O teu amor pode estar do seu lado
O amor é o calor que aquece a alma
O amor tem sabor prá quem bebe a sua água

Eu hoje mesmo quase não lembro que já estive sozinho
Que um dia eu seria seu marido, seu príncipe encantado
Ter filhos, nosso apartamento, fim de semana no sítio
Ir ao cinema todo domingo só com você do meu lado

Mas tudo que acontece na vida tem um momento e um destino
Viver é uma arte, é um ofício
Só que precisa cuidado
Prá perceber que olhar só prá dentro é o maior desperdício
O teu amor pode estar do seu lado

O amor é o calor que aquece a alma
O amor tem sabor prá quem bebe a sua água

Jota Quest

Era isto ou falar da "Quinta das Celebridades"... a música tem mais filosofia!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 16:24
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sábado, 9 de Outubro de 2004

Proibida pra mim

Ela achou o meu cabelo engraçado
Proibida pra mim no way
Disse que não podia ficar
Mas levou a sério o que eu falei
Vou fazer tudo que eu puder
Eu vou roubar essa mulher pra mim
Eu posso te ligar a qualquer hora
Mas eu nem sei o seu nome
Se não eu quem vai fazer você feliz?
Se não eu quem vai fazer você feliz? ... Guerra

Eu me flagrei pensando em você
Em tudo que eu queria te dizer
Em uma noite especialmente boa
Não há nada mais que a gente possa fazer
Vou fazer de tudo que eu puder
Eu vou roubar essa mulher pra mim
Eu posso te ligar a qualquer hora
Mas eu nem sei o seu nome
Se não eu quem vai fazer você feliz?
Se não eu quem vai fazer você feliz? ... Guerra

Zeca Baleiro

Ensaio do filósofo rafapaim às 16:18
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 8 de Outubro de 2004

/J Noite

< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Você é muito fofo!
< Anonimo_Incognito> Opa...! Tá me estranhando...?!
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Não to falando com você! To falando com o ursinho do seu pijama!
< Anonimo_Incognito> Ah... Desculpe... Podem continuar a conversa de vocês...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Afinal, por que você está de pijama?
< Anonimo_Incognito> ...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> To falando com você agora, ô topetudo!
< Anonimo_Incognito> Ah... Eu...?! Desistiu do ursinho...?!
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> É. Não gosto do jeito que ele me olha... Mas e então? Por que tá de pijama?
< Anonimo_Incognito> Porque já são mais de 23:00h...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> É. Mas aqui é um ponto de ônibus. Ou era, pelo menos, antes de eu tomar a segunda garrafa...
< Anonimo_Incognito> É sim... É que eu to sem sono... Então resolvi dar uma volta...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Acho que não é só você que tá sem sono, porque tá todo mundo dando volta ao meu redor.
< Anonimo_Incognito> ...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Não precisa ficar assustado! Nem elefante cor-de-rosa eu to enxergando ainda!
< Anonimo_Incognito> Vai ver é porque ele só pega o ônibus da meia-noite...
<Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Hahahaha. Você é estranho mas é engraçado.
< Anonimo_Incognito> ...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> ...
< Anonimo_Incognito> Tá ficando frio, né...?
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Bastante. Quer dividir esse jornal comigo?
< Anonimo_Incognito> Não... Obrigado... Acho que já vou voltar pra casa...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Tão cedo?! Bebe um pouco aqui comigo!
< Anonimo_Incognito> Eu não bebo...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Dizem que é bom pra dormir.
< Anonimo_Incognito> Beber leite que é bom pra dormir...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Sério?! Pô, faz 45 anos que eu tento dormir bebendo isso. Se tivessem me avisado antes...
< Anonimo_Incognito> To avisando agora...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Agora é tarde. Me apaixonei pelo elefante cor-de-rosa.
< Anonimo_Incognito> Mais um motivo pra eu ir... Daqui a pouco ele aparece e eu não quero ficar de vela pra vocês...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Você é quem sabe! Até mais então!
< Anonimo_Incognito> Até...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> ...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> ...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> ...
< Tiozinho_Barbudo_com_Garrafa_na_mao> Pô, você perdeu! Acabei de ver o Anônimo Incógnito
< Elefante_Cor-de-Rosa> Ai ai. Você sempre diz isso quando bebe!

* Anonimo_Incognito has quit IRC (Quit: Da próxima vez eu tento o copo de leite...)

Teclado pelo Anonimo_Incognito

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

Flores

Olhei até ficar cansado
De ver os meus olhos no espelho
Chorei por ter despedaçado
As flores que estão no canteiro

Os pulsos e os punhos cortados
E o resto do meu corpo inteiro
Há flores cobrindo o telhado
E embaixo do meu travesseiro

Há flores por todos os lados
Há flores em tudo que eu vejo
A dor vai curar essas lástimas
O soro tem gosto de lágrimas

As flores tem cheiro de morte
A dor vai fechar esses cortes

Flores
Flores
As flores de plástico não morrem

Titãs

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:59
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quinta-feira, 7 de Outubro de 2004

Afinal é o que?!

Se alguém esta fora de casa... saiu apenas para dar uma volta... e de repente recebe (não é nenhum desconhecido a oferecer flores não! ehehe!) um convite para tomar um café!!!

Isso classifica-se como:

- Uma saída?!
- Um programa?!
- Um encontro?!

Ora bem a classificação parece a mesma... mas muita filosofia barata intrínseca!

Uma saída é algo muito mais natural... não é preciso combinação... sabemos quando e para onde ir, é aquele ritual que todas as pessoas tem!!! Assim, sai de casa sem grandes preocupações e sem planos... não foi preciso ficar idealizando coisas e com medo de situações embaraçosas, o grupo é grande e sempre encontra alguém conhecido!!!

Um programa já é algo com alguma marcação... envolve menos pessoas... normalmente já com alguns interesses entre os participantes!!! Para isso você já passa mais tempo em frente do espelho... se apronta e sai de casa tendo hora e lugar combinados ao pormenor!!! Envolve algum risco e sempre cria expectativa!!!

Por fim... o encontro... a cereja no topo do bolo... logo no número de participantes, diferente... apenas 2... e normalmente de sexos opostos, antes de sair de casa o desespero... como ficar bem... como parecer bem... que fazer nos momentos de silêncio... ilusões... sonhos... um monte de esperanças!!! Ficar nervoso é natural até porque é algo combinado com dias de antecedência... assim ao chegar o dia não se pensa noutra coisa!!!

Aqui fica a questão...

... fora de casa (ou seja não estava nada combinado – saída!)...
... recebe um convite com hora e local (envolve expectativa – programa!)... 
... número de participantes apenas dois de sexo oposto (encontro!)...

Afinal o tal café com que começo o ensaio é o que?!?!?!

Ensaio do filósofo rafapaim às 22:54
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Quarta-feira, 6 de Outubro de 2004

Frases feitas

Quem nunca vida utilizou uma frase feita para exprimir um sentimento...

Em certas alturas (e quando falamos sentindo o que estamos a dizer) fica bem!!! Simplifica o momento... e por vezes é a única forma de traduzir fielmente o que tentamos demonstrar.

Frase feita é bom de ouvir... quem fala sabe que é plágio... quem ouve sabe que é clichê... mas e daí?!?! Vai ter menos valor por isso?!?! Só conta originalidade e espontaneidade?!

O momento não se torna único por ser a primeira vez que o fazemos... mas sim por o fazermos com “aquela” pessoa!!!

É aquele sentimento especial e a vontade de fazer alguém feliz que conta... não a forma como fez... existem pessoas com menos imaginação, menos inspiração e por isso recorrer a essas “frases feitas” acho que não as torna mais banais!

Fale como quiser... seja brincando... seja copiando... não vai tornar o que falou em menos sério ou sincero!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:40
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Terça-feira, 5 de Outubro de 2004

Dedicado a ti

As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir

Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir

São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder

Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer

A chuva molhava-me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera

Ai... meu choro de moça perdida
gritava à cidade
que o fogo do amor sob chuva
há instantes morrera

A chuva ouviu e calou
meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade

Chuva
Jorge Fernando

Ensaio do filósofo rafapaim às 03:31
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Segunda-feira, 4 de Outubro de 2004

Feliz Aniversário

Parabéns a você
Nesta data querida
Muitas felicidades
Muitos anos de vida
Hoje é dia de festa
Cantam as nossas almas
Para a menina M...

Uma salva de palmas!!!

Muitos Parabéns e Muitas Felicidades

Aquele beijo!

Ensaio do filósofo rafapaim às 03:21
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
Domingo, 3 de Outubro de 2004

Codinome Beija-Flor

Pra que mentir
Fingir que perdoou

Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou

Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções
Desperdiçando o meu mel
Devagarinho, flor em flor
Entre os meus inimigos, beija-flor

Eu protegi teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor (nunca)
Pra qualquer um na rua, Beija-flor

Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador

Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amor

Cazuza

Ensaio do filósofo rafapaim às 23:56
link do post | comentar | favorito
Sábado, 2 de Outubro de 2004

A idiotice é vital para a felicidade

O texto é escrito em "brasileiro"... leia com atenção... ele em si é uma excelente filosofia barata!!!

" Gente chata essa que quer ser séria, profunda, visceral. Putz, coisa pentelha! A vida já é um caos, por que fazermos dela, ainda por cima, um tratado do Schopenhauer?

Deixe a urgência para as horas em que ela é inevitável: mortes,separações, dores. No dia-a-dia, pelo amor de Deus, seja idiota. Ria dos próprios defeitos, tire sarro de suas inabilidades. Ignore o que o boçal do seu chefe proferiu. Pense assim: quem tem que carregar aquela cara feia, todos os dias, inseparavelmente, é ele. Pobre dele. E nada pessoal também. Pior o Michael Jackson!

Milhares de casamentos acabaram-se não pela falta de amor, dinheiro, sexo, sincronia, mas pela ausência de idiotice. Trate seu amor como seu melhor amigo, e pronto. Quem disse que é bom dividirmos a vida com alguém que tem conselho pra tudo, soluções sensatas, objetivos claramente traçados mas não consegue rir quando tropeça? Que sabe resolver uma crise familiar mas não tem a menor idéia de como preencher as horas livres de um fim de semana?

Quanto tempo faz que você não vai ao cinema, não joga video-game, maçã do amor no circo ou parque de diversões nem se fala. Também valem beijo no portão, amasso no carro, essas coisas. Sim, porque é bem comum gente que fica perdida  quando se acabam os problemas. E aí, o que elas farão se já não têm por que se desesperar?

Em suma: desaprenderam a brincar. Eu não quero alguém assim comigo. Tudo que é mais difícil é mais gostoso, mas a realidade já é dura; piora se for densa. Dura e densa, ruim. Brincar é legal. Entendeu?

Esqueça o que te falaram sobre ser adulto, tudo aquilo de não brincar com comida, não falar besteira, não ser imaturo, não se descontrolar, não demonstrar o que sente, não chorar nem comer danoninho, não andar descalço. É muito não. Dá prá ser feliz com tanto não?

Pagar as contas, ser bem-sucedido, amar, ter filhos, saber beber, levar a gata pra jantar e depois pro motel, resolver os seus pepinos e os abacaxis dos outros, dar atenção ao tio doente e lembrar do seguro do carro que vence amanhã - tarefa brava. Piora, muito, com o peso de todos aqueles nãos.

Tenha fé em uma coisa: dá certo ser adulto e idiota. Aliás, tudo fica bem mais fácil ser for regado a idiotice, bom humor e muitas gargalhadas. Manuel Bandeira foi um grande homem e um grande poeta. Disse certa vez: "E por que essa condenação da piada, como se a vida fosse só feita de momentos graves ou só nesses houvesse teor poético?".

Estava certo. E viva a abobrinha!!! Empine pipa!!! Adultos podem (e devem) contar piadas, ir ao fliperama, passear no parque, gostar dos Simpsons, beliscar a bunda da mulher, sair pelados pela cozinha e lamber a tampa do iogurte. Ser adulto não é perder os prazeres da vida - e esse é o único "não" realmente aceitável.

Teste a teoria. Uma semaninha, pra começar. Veja e sinta as coisas como se elas fossem o que são, passageiras. Acorde de manhã e decida entre duas coisas: ficar de mau humor e transmitir isso adiante ou fingir um sorriso que acaba trazendo outros verdadeiros e de repente tudo está fluindo bem, a seu favor - então o sorriso se torna grande.

A briga, a dívida, a dor, a mágoa, a dúvida, a raiva, tudinho vai passar, então pra que tanta gravidade? Já fez tudo o que podia para resolver o problema? Parou, chorou, respirou fundo, comeu chocolate e pediu arrêgo?

Óptimo, hora da idiotice: entre na Internet, jogue pebolim, coma um churrasco grego, vá por um caminho diferente, cantarole no trânsito! Tá numa de empinar pipa no sábado? Vá. E suje a roupa na grama, por favor. Quer conversar com sua namorada imitando o Pato Donald mas acha muito boçal? E é, mas e daí? Você realmente acha que ela vai gostar menos de você por isso? Ela não vai, tenha certeza. Só vai gostar mais, porque é delicioso estarmos com quem sorri e ri de si mesmo. E não se surpreenda se chegar em casa e a encontrar fantasiada de Margarida, só pra variar o clichê champagne - morangos - lingerie.

Eu fico chateado por não ser tão idiota quanto gostaria; tenho uma mania horrível de, sem querer, recair na seriedade. Então o mundo fica cinza e cada lágrima ganha o peso de uma bigorna. Nessas horas não preciso de cenhos franzidos de preocupação. Nessas horas tudo de que preciso é uma bela, grande e impagável idiotice. Aquelas besteiras que o colega ao lado sempre solta. Como sair pra jogar paintball - ou, melhor ainda, me olhar fixamente no espelho até notar como fico feio com os olhos vermelhos e o nariz escorrendo. Como fico ridículo quando esqueço que tudo passa.

E como meu sorriso é bonito! Bom mesmo é ter o problema na cabeça, o sorriso na boca e paz no coração!!!!

Aliás, entregue os problemas nas mãos de Deus e, que tal batata frita com sorvete agora mesmo, no happy hour??? Tenha um dia perfeito, uma vida feliz e nunca deixe de ser criança! "

Ailin Aleixo, colunista da revista Vip, onde este artigo foi originalmente publicado.

Um grande obrigado a quem partilhou isto comigo!!!

Como já aqui escrevi... não é por ser frio que é mais bem educado ou melhor!

Ensaio do filósofo rafapaim às 13:39
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Sexta-feira, 1 de Outubro de 2004

Horas Negras - O julgamento

Este texto encontra em Horas Negras!!! Pela sua piada resolvi, e com a autorização da autora do mesmo (que desde já agradeço a gentileza) publicar!!!

Silêncio na sala! Está iniciado este julgamento! Senhor Anjo da Guarda tem a palavra.

- Excelentíssimo, Altíssimo e Omnipotente Deus Todo Poderoso...

- Chega de graxa! Prossiga com os factos.

- Hum hum, perdão, perdão. A minha protegida hoje aqui presente nesta audiência teve os seus pecadilhos ao longo da vida, sim Senhor. No entanto foi sempre uma boa cristã, generosa, amiga de crianças, velhinhos e animais. Deu catequese, ajudou velhinhas a atravessar a rua, foi sempre amiga do seu amigo, e muitas vezes conseguiu mesmo não ser inimiga do seu inimigo. Recatada, decente, uma moça que deve com certeza ascender aos céus.

- Hum... Diabo de acusação, faça-me um breve resumo. Pode deixar de fora as coisas menores, como dizer palavrões ou roubar a chucha ao colega de berço, porque com o ultimo julgado estivemos cá três meses à conta disso.

- Assim sendo, e já que me corta o discurso de forma tão vil...

- Não sejas melodramático, eu sou Deus, não posso ser vil.

- Tens razão, sim Senhor. Era para ver se passava. Bom, mas em traços gerais, e cingindo-me aos 7 pecados mortais, que só aí temos motivos mais que suficientes para a condenação eterna no fogo dos infernos...

- Olha o melodrama!

- Desculpa... mas sabes que nestas coisas eu me entusiasmo. Enfim, sendo sistemático:
IRA – 3457 fúrias graves contra o irmão e mais de 5000 dirigidas à mãe.
INVEJA – 345 olhares mortíferos para raparigas magras e jeitosas, e mais de um milhão para raparigas com malas e sapatos giros.
SOBERBA – 253 vezes que andou de nariz empinado por ter o que julgava ser a roupa mais bonita do universo e arredores. E nem vou abordar as vezes que se achou o cúmulo da inteligência, porque já me cortaram a palavra uma vez.
AVAREZA – 8953 dias passados a contar os tostões do mealheiro, ou da conta bancária, consoante a idade em que se deu o delito. Quantidade de vezes que deu esmola bem inferior à média do católico comum.
GULA – acho que os seus numerosos quilos a mais falam por si, mas se quiser uma demonstração prática tenho lá fora uma fatia de salame de chocolate.

- Não é preciso, eu consigo imaginar. Além disso também já estou com uma fome diabólica. O toucinho-do-céu do almoço já lá vai há muito tempo. Prossegue.

- PREGUIÇA – tenho aqui um dossier com informação detalhada de todas as ocorrências de preguicite aguda, com mais de 2 milhões de páginas...

- Poupa-nos a leitura. Eu sou Deus, sei tudo o que está lá escrito.

- Finalmente, e pior de todos, temos a LUXÚRIA. Quer a descrição completa das actividades da nossa julgada?

- Não vale a pena. Mesmo sendo Deus consegui corar quando li o processo.
Bem, assim sendo, e como este é um caso bicudo, vou fazer uma pausa para deliberar. Até lá a julgada fica retida no Purgatório. Reunimos de novo daqui a um século.

- Vá lá! Menos mal! Pensei que a Luxúria te valesse uma condenação imediata! eheheh ganda maluca!!! A propósito, hás-de me ensinar aquela do...

- ANJO!!!

- Estou a ir, estou a ir... ouvidos de tísico este Altíssimo...

Todas as histórias tem dois lados!!!

Ensaio do filósofo rafapaim às 21:16
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito

.Agosto 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31