.Filosofias Recentes

. Find Me

. Outro reinício ...

. 5 sentidos...

. Calma! Está tudo perfeita...

. É desta vez...

. Desperdício

. Indiferenças

. Certezas!

. Perspectivas…

. A dor do amor

. Também é amizade

. A vida segue!

. Livro dos Loucos

. Basta o essencial

. Redes Sociais

. Eu no meu papel

. Indian Piggy

. Anonimamente ela...

. Voltou a acontecer

. Eu quero ser o teu proble...

. The Space Between

. o quatro do quatro a uma ...

. Sutilmente

. Deus está aqui

. Semelhanças...

.Filosofias Passadas

. Agosto 2017

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Outubro 2014

. Agosto 2014

. Julho 2014

. Junho 2014

. Março 2014

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Abril 2013

. Outubro 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

Quarta-feira, 18 de Março de 2009

Seu olhar...

De entre todas as coisas que gosto em ti, é o teu olhar que me prende.
É ele que me arrebata.
Parece um lugar comum mas não é o caso. De lugar comum, o teu olhar nada tem.
O teu olhar amarra-me. Enleia-me numa teia da qual não consigo, nem quero, desligar-me. Torna-me cárcere de desejos e emoções.
Prende-me. Prende-me os sentidos, prende-me o coração, prende-me a língua, a fala, os tendões das mãos, as rótulas dos joelhos, as articulações dos tornozelos, e o sorriso idiota com que fico depois de o ver.
É por isso que tenho esta dificuldade em descrever, analiticamente, o teu olhar.
Impossível! Rendo-me às evidências da minha incompetência, do teu olhar.
O teu olhar não se resume a um mero globo ocular e a uma íris coberta por uma córnea.
O teu olhar é responsável pela captação da luz do sol inteira, deixando escuro qualquer meio-dia, e reflecte, dos seus 25 milímetros de diâmetro, uma alma interminável.
A tua luz atinge qualquer objecto como uma precisa visão raio-X de todas as artérias do meu coração.
Obrigas-me a penetrar nesse tecido aquoso, pela pupila, a entrar no globo ocular e a atingir o cristalino.
Absorves-me os raios de sol todos, paralelos, vindos do infinito, e converges-me na fóvea central da tua retina.
Uma água infindável onde convergem todos os raios luminosos... e o meu coração.
Um ponto focal sobre a retina onde milhões de células fotossensíveis reagem.
Através do teu nervo óptico é o meu cérebro que é afectado.
Descarregas em mim mil imagens num processamento contínuo de sensações.
Desfazes-me o córtex visual e esmurras-me o peito por dentro.
Olhas-me.
São os teus olhos que me vêem. Mas sou eu que através deles que tenho uma visão perfeitamente nítida do paraíso.

Ensaio do filósofo rafapaim às 00:00
link do post | comentar | favorito

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31